Categorias
Sem categoria

Google AdWords: Tudo que você precisa saber sobre essa ferramenta.

O Google AdWords é a plataforma de Anúncios do Google que lidera o mercado de Mídia Online. Através do Google AdWords, conhecido também como Google Ads, é possível criar anúncios de pesquisa, de display, no Youtube, no Gmail e no Google Shopping.

Você já deve ter ouvido falar nesse nome em temas relacionados ao marketing digital, mas é natural não entender muito bem como a ferramenta funciona logo de primeira e muitas vezes não utilizar dessa ferramenta por puro desconhecimento. Quando resolvemos buscar por informações no Google, procuramos por algo específico. Essa atitude mostra que temos uma intenção. Desta forma fica fácil entender qual a importância do Google AdWords e como ele pode ser eficaz para determinadas ações.
Continue lendo para saber mais sobre essa ferramenta, suas funções, qualidades e como utilizá-la com exito.

O que é o Google AdWords?

O Google AdWords, que atualmente é conhecido como Google Ads, se trata da plataforma de anúncios do Google, que lidera o mercado de Mídia Online. Através do Google Ads é possível criar anúncios de pesquisa, de display, no Youtube, no Gmail e na Play Store.

Através desse serviço, empresas podem, de certa forma, pagar o Google para se destacarem no mecanismo de busca. O grande diferencial dessa ferramenta é que as empresas que anunciam podem se destacar para um público super segmentado, ou seja, não é só pagar para aparecer mais, sim investir para aparecer para as pessoas certas, para uma audiência verdadeiramente qualificada.

Como funciona?

O Google AdWords funciona permitindo também que ajustes sejam feitos durante o processo, visando elevar o sucesso e acertos dessa campanha para a empresa. Ou seja, ser no meio de uma campanha algum erro é identificado, isso pode facilmente ser resolvido e alterado.

Com base em cookies e em palavras-chave, os anunciantes conseguem determinar onde os anúncios serão exibidos. O Google AdWords possui algumas formas de anúncio, como:

1. Anúncios em redes de pesquisa

São exibidos nos resultados de pesquisa para certas palavras-chave. Eles ficam em destaque no início e no fim da página de pesquisa e com um pequeno destaque de “Anúncio” para informar que se trata de um link patrocinado.

É um formato útil para alcançar pessoas que buscam por produtos ou serviços específicos. A grande vantagem desse formato é que o anunciante só paga quando a pessoa clica no link do anúncio, o que gera um ótimo custo benefício quando bem aplicado.

2. Anúncios em redes de display

Esse modelo campanha normalmente aparece em sites, blogs e páginas de notícias, e essas aparições juntas formam a conhecida Rede de Display do Google.

Os anúncios gráficos possuem opções específicas para palavras-chave, informações demográficas, segmentação e remarketing. Você acaba influenciando seu público a lembrar e interagir com sua marca, podendo até realizar a esperada ação.

3. Anúncios no YouTube

Você que utiliza o YouTube já deve ter visto que alguns vídeos possuem anúncios e propagandas, que podem ser antes do início ou até mesmo durante a exibição do vídeo.

Você também pode criar campanhas para serem veiculadas em formato de vídeos nessa plataforma. Nela você pode selecionar o público-alvo desejado com base na idade, no local, no sexo, nos seus interesses e muito mais.

E segundo o próprio YouTube, você só paga quando as pessoas interagem com a campanha. Se o anúncio for pulado antes de determinado tempo, você não pagará por aquela exibição.

4. Google Shopping

Para você que tem um e-commerce com uma grande variedade de produtos, existe uma possibilidade no Google AdWords que pode ajudar no seu caso, e que proporciona ótimos resultados para lojas online.

Com os anúncios de Google Shopping, é possível criar campanhas para promover os produtos de e-commerce, intensificar o tráfego para o seu site ou para lojas físicas e atrair leads mais qualificados.
Para esse formato, os anúncios não utilizam palavras-chave em sua segmentação, e sim as informações do produto, que o Google vai relacionar com o que as pessoas estão buscando.

5. Anúncios de aplicativos

Esses são anúncios mais focados para quem possui aplicativos e quer aumentar seu alcance com a plataforma do Google. Com esse formato você pode promover seu negócio ou até mesmo seu aplicativo para usuários de Android ou iOS.

Após a configuração, seu anúncio estará qualificado para alcançar uma grande quantidade de pessoas na Rede do Google, incluindo Pesquisa Google, Google Play, YouTube e muitos outros sites e aplicativos para dispositivos móveis.

Por que anunciar no Adwords?

O Google AdWords pode fazer muito por suas campanhas de marketing. Essa ferramenta oferece uma série de vantagens, como poder segmentar melhor suas campanhas e fazer alterações quando preciso.
Continue lendo e confira algumas das vantagens de se utilizar essa ferramenta.

1. Apareça para quem está buscando seu serviço ou produto

Uma grande porcentagem de todo o tráfego de pesquisa online do mundo é feito pelo Google e isso quer dizer que o seu cliente final pode estar procurando pelo serviço que a sua empresa oferece neste exato momento e este é o motivo principal para anunciar no Google AdWords.
A ferramenta permite configurar os anúncios para que somente pessoas interessadas em determinados produtos ou serviços sejam impactadas.

2. Acompanhamento e otimização

Com o Google AdWords também é possível acompanhar a taxa de conversão das palavras-chave selecionadas para compor cada uma de suas campanhas. Elas precisam ser relevantes para o seu negócio e, pensando nisso, é necessário identificar as palavras que podem trazer os usuários certos para o seu site e identificar termos que têm as maiores taxas de conversão.

3. Gere mais vendas com o Google Shopping

O Google AdWords tem um sistema exclusivo para que os e-commerces vendam mais. Neste formato os anunciantes pagam para que seus produtos estejam na lista de destaque do Google Shopping. É possível que os anúncios sejam exibidos na página de resultados somente quando a palavra-chave buscada esteja relacionada aos produtos.

4. Remarketing

O sistema de remarketing é criado para atingir aqueles usuários que fizeram quase todo o processo de compra. Com o rastro deixado pelo usuário é possível acompanhá-lo em outras plataformas e exibir o anúncio do item que ele demonstrou interesse. Assim, esse anúncio, desse produto específico, aparece várias vezes para essa pessoa em diversas páginas de pesquisa.

5. Apareça no YouTube

Muitas pessoas acessam constantemente o YouTube, pessoas com perfis diversos, consumindo conteúdos diversos. Diante disso, a plataforma é ótima oportunidade para muitas empresas, independente do segmento, já que bilhões de pessoas estão reunidas no site. Outra vantagem é o tempo de permanência dos usuários do YouTube na plataforma, que é maior se comparada aos outros canais de mídia social.

Quanto custa?

Cada vez que alguém clica em seu anúncio, você realiza o pagamento, pois o formato de cobrança do Google AdWords acontece através da busca pelas palavras-chave. Dependendo do setor em que você inserir sua campanha, as palavras-chave podem ser baratas ou caras, podendo variar bastante dependendo de sua relevância.
Um dos maiores erros no lançamento de uma campanha como essas, é não fazer uma pesquisa de palavras-chave apropriada antes iniciar sua campanha. Para obter alguns dados mais profundos, você precisa pesquisar palavras-chave que tenham relevância para sua empresa e que trarão usuários verdadeiramente qualificados.

Hora de colocar a mão na massa

Agora que você já sabe tudo sobre essa ferramenta, é hora de colocar a mão na massa. Esse é o momento de descobrir como a ferramenta funciona e aprender a criar seus anúncios de forma correta. Continue lendo e confira.

1. Crie sua conta

Você deve acessar o site do Google AdWords e fazer seu cadastro. Caso já tenha uma conta Google (um endereço do Gmail), basta inserir login e senha e continuar.

2. Crie sua campanha

Já no painel do Google AdWords, seu primeiro anúncio começa na aba “Campanhas”, que fica no canto da tela. Você verá um círculo em azul com o sinal de adição. Clique nele e selecione “Nova Campanha”.

3. Determinando o tipo de publicidade

O Google Adwords oferece diferentes formatos de anúncios, como já foi dito. Se já identificou qual é o mais adequado para a sua estratégia, faça sua escolha.

4. Configurando sua campanha

Você deve preencher as informações solicitadas por ela, não se preocupe, pois a plataforma é bastante intuitiva. Esta etapa inclui as metas, que são as ações que deseja que os usuários tomem. Não esqueça de inserir o endereço de seu site antes de prosseguir. Escolha um nome para a campanha e defina seus detalhes, como local, idioma e o orçamento.

5. Criando o anúncio

Agora vem a parte visual dos eu anúncio. Você deve definir o que irá aparecer no título, na URL e na descrição do anúncio, entre outras informações solicitada pela plataforma.

6. Revisando e publicando

Para finalizar, não se esqueça de fazer uma boa revisão, uma vitoria completa de sua campanha. Com tudo certo e do jeito que você queria, é só dar início à divulgação e começar a mensurar os resultados dela.
Dessa forma você irá começar a capturar leads muito rapidamente!

Espero que você tenha aprendido um pouco mais sobre o Google Adwords, seu funcionamento, seus formatos de anúncios e suas muitas vantagens.
Qualquer dúvida, entre em contato conosco.
Abraço e até a próxima!

Categorias
Sem categoria

Atração: Tudo que você precisa saber sobre os canais para atrair mais clientes

A habilidade de uma empresa crescer se dá pela habilidade de se atrair os clientes certos através dos canais certos. Basicamente, Tração significa que você é capaz de adquirir clientes de forma mensurável.

No livro Traction, os autores compartilham suas experiências práticas sobre como fazer uma empresa crescer. Para uma Startup crescer, mais importante do que o produto em si é saber como chegar até os seus clientes, distribuição é tudo.

A importância de chegar até o cliente

Se você tem um empreendimento, uma Startup, o que mais importa é chegar até seus clientes. Você precisa dominar canais de aquisição e assim provar o crescimento real da sua empresa.


Muitos empreendedores acreditam que um bom produto se vende sozinho. Infelizmente, isso não é verdade, você precisa de crescimento consistente, precisa de tração. Você precisa de uma abordagem sistemática, de um método para seguir crescendo e cada vez atraindo mais clientes.

Não repita cegamente as técnicas e táticas adotadas por outras empresas. Não faça anúncios ou crie um blog apenas porque as outras empresas estão criando. Se você seguir tentando crescer sem uma estratégia clara, vai acabar quebrado, sem dinheiro e sem usuários. O método e o plano são tão importantes quanto o crescimento em si e é isso que Gabriel Weinberg e Justin Mares nos trazem em Traction.

Canais de tração

Canais de tração, basicamente se trata de um conjunto de ações para que o seu negócio cresça e se estabeleça de forma saudável em seu segmento.

Essas ações só vão produzir resultados quando colocadas em prática.
No livro Traction, (Tração) de Gabriel Weinberg e Justin Mares (uma ótima dica de leitura pára empreendedores), são apresentados 19 canais que podem ajudar a alavancar o seu negócio, atingindo ótimos resultados.

Escolha as ferramentas certas

Para mensurar o sucesso dos seus canais, você precisa ter as ferramentas certas, sempre coletando dados sobre os usuários que vieram de cada canal. Não comece seus experimentos sem ferramentas confiáveis como o Google Analytics ou o Mixpanel prontas para mensurar o retorno dos seus experimentos de canais.

Crie planilhas para acompanhar sua performance por canal, mensurando e documentando sempre suas taxas de conversão de usuários em clientes, o custo de aquisição daquele canal e o valor do cliente ao longo do seu ciclo de vida para sua empresa. Essa planilha te ajuda a saber se está indo na direção correta e como seus canais estão performando.

Além disso, você precisa ter metas de tração. Uma meta de tração, por exemplo, seria atingir mil usuários pagantes em um determinado mês. Todos os seus esforços devem estar alinhados à sua meta de tração e escolher a meta certa é muito importante.

Se você perseguir novos usuários cadastrados, terá um resultado completamente diferente do que se seu objetivo for novos usuários pagantes. Defina seus objetivos e foque nos canais que irão te levar a este objetivo no menor caminho possível.

Os canais de tração

Esses são os 19 canais citados pelos autores do livro Traction:

Marketing viral

O marketing viral basicamente consiste consiste em ampliar a sua base de clientes , encorajando-os a recomendarem sua marca ou produto para outras pessoas.

Segundo o autor do livro Tração, uma Startup viraliza quando o usuário traz ao menos mais uma pessoa para utilizar seu produto ou serviço.

Relações públicas (PR)

O foco das relações públicas é conseguir cobertura ampla pela mídia, como de jornais, TV, revistas e, com essa estratégia, atrair novos usuários e clientes. Muitas empresas começam assim, chamando a atenção da audiência de uma determinada publicação. Para isso, você precisa entregar para a mídia uma boa história ou fatos que façam com que valha a pena falar de você.

Relações públicas não convencionais

De forma não convencional, uma estratégia de Relações Públicas pode gerar resultados ainda maiores para sua marca ou produto. Por exemplo quando o Red Bull manda um paraquedista para o espaço.

Você pode realizar ações de marketing que chamem a atenção da imprensa e isso faz com que os grupos de mídia queiram falar sobre você, gera uma movimentação orgânica. É possível também criar vídeos virais sobre seu produto ou serviço.

Marketing pago em buscadores (SEM)

SEM ou Search Engine Marketing basicamente se trata de pagar para anunciar em buscadores como o Google ou Bing e iscar cliques de potenciais usuários pagando por isso. Os anúncios PPC (Pague por Clique) permitem que você alcance usuários enquanto eles estão buscando por palavras-chave.

Anúncios sociais e display

Os display são os banners que você vê nos sites que visita. Já os anúncios sociais aparecem na sua timeline do Facebook ou do Twitter, por exemplo. Enquanto os anúncios PPC em buscadores focam em satisfazer um interesse que o consumidor demonstrou ativamente por meio de uma busca, os anúncios display e sociais geram demanda para algo que os clientes não sabiam que precisavam.

Anúncios offline

Aqui entram os tradicionais anúncios em TV, rádio, jornais, revistas, placas de outdoor etc. Estes canais podem ser valiosos em campanhas locais ou em nível nacional. Pouco usados pelas startups, o que significa uma menor competição para atingir estas audiências.

Otimização para os buscadores (SEO)

O Google é campeão na preferência dos usuários que querem pesquisar qualquer assunto na internet. O SEO (Search Engine Optimization) consiste em otimizar as páginas do seu site para que elas apareçam nos resultados do Google, durante essas buscas.

Marketing de conteúdo

Uma estratégia Marketing de Conteúdo, normalmente se baseia em construir um conteúdo relevante para seu público em potencial. Favorece engajamento com as pessoas e, eventualmente, estes leitores acabam se tornando clientes da sua empresa. Os blogs são exemplos de excelentes ferramentas de Marketing de Conteúdo.

E-mail Marketing

Email marketing é uma das melhores ferramentas para se converter prospects em clientes. Enviar email para seus potenciais clientes faz com que eles se engajem diretamente com sua empresa e leiam sua mensagem. O email é um canal pessoal e mensagens de uma empresa aparecem junto a comunicações dos seus amigos e família. Por isso, e-mail marketing é mais eficiente quando é relevante e personalizado.

Engenharia como Marketing

Seu time de programação pode ajudar sua startup a ganhar tração criando ferramentas que ajudem você a atingir mais pessoas. Estas ferramentas podem ser calculadoras, widgets e microsites educacionais que coloquem sua empresa na frente de mais clientes em potencial. A Hubspot por exemplo, criou uma ferramenta que ajuda as pessoas a avaliar e encontrar potenciais problemas em seus websites. Com isso, milhares de pessoas usam esta ferramenta, acabam conhecendo a empresa e se tornando potenciais clientes.

Cobertura em blogs

Focar em aparecer nos blogs lidos pelos seus clientes é uma das estratégias mais comuns para atingir seus primeiros clientes. Startups como o Codecademy, Mint e o Reddit começaram focando em aparecer nos blogs lidos pelo seu público alvo. A startup de finanças pessoais Mint, por exemplo, focou em blogs do nicho de finanças desde o seu início. Conseguindo que estes blogs falassem da empresa, quando lançaram o produto, já havia dezenas de milhares de usuários interessados em seu produto.

Desenvolvimento de negócios

Desenvolvimento de Negócios ou Business development (BD) é o processo de criar relacionamentos estratégicos que ajudem a empresa e seus parceiros a crescer. Diferente de vendas, quando se foca diretamente no cliente, o BD foca em encontrar potenciais parceiros e atividades em conjunto que possam beneficiar ambas as partes. No processo de desenvolvimento de negócios, é preciso saber estruturar negócios, encontrar parceiros e saber se aproximar deles com maestria.

Vendas

Na área de vendas, o foco é criar processos que atinjam os prospects e façam com que eles paguem pelo seu produto. Em muitos casos, é necessário conversar e pegar na mão do potencial cliente para que ele se torne um cliente de verdade. Para escalar através de vendas, é preciso saber criar um funil que gere leads, saber qualificar estes leads e ter processos escaláveis para abordá-los e convertê-los.

Programas de afiliados

Um programa de afiliados consiste em sua empresa pagar outras pessoas ou empresas para vender seu produto. Empresas como Amazon, Zappos, eBay, Orbitz e Netflix utilizam o marketing de afiliados como um canal escalável para geração de receitas. Programas de afiliados em geral são um canal de alta performance para lojas de ecommerce e clubes de assinatura.

Plataformas

Plataformas existentes são sites, aplicativos ou redes com grandes números de usuários que podem ser usados para gerar mais tração para sua startup. Os principais exemplos são as lojas de aplicativos móveis da Apple (Apple Store) e do Google (Android Store). As redes sociais como o Facebook e o Twitter também são plataformas que podem ser utilizadas para encontrar novos clientes. O esforço se baseia em entender como estas plataformas funcionam e como é possível converter alguns dos milhões de seus usuários em novos clientes.

Participar em feiras e eventos

Estar em uma feira do seu mercado te dá a chance de demonstrar seu produto pessoalmente. Inicialmente, este pode ser um ótimo canal para gerar interesse no seu produto ou serviço. À medida que você cresce, estes espaços também podem ser ótimos para anunciar novos produtos, funcionalidades e fechar contratos com grandes empresas.

Eventos offline

Patrocinar ou criar eventos offline pode ser um canal forte de aquisição de clientes. Estes eventos permitem que você interaja com os clientes e converse sobre seus problemas. Este canal pode ser especialmente útil quando os clientes da empresa não estão totalmente conectados ou não engajam com publicidade online. Atraí-los para um evento, neste caso, pode ser a melhor maneira de abordá-los.

Palestras

Este canal funciona bem se você consegue incluir um pitch interessante para as pessoas na sua palestra. Se o conteúdo leva a ação, falar em público sobre seu produto ou serviço pode ser um canal consistente para trazer novos clientes para sua startup. Eric Ries, por exemplo, promoveu seu livro The Lean Startup através de palestras e assim conseguiu entrar na lista de best sellers.

Criação de comunidade

Criar uma comunidade envolve gerar conexões entre seus clientes e trazer mais gente para conversar sobre sua empresa. A Wikipédia, por exemplo, atraiu milhões de usuários através da criação de uma comunidade onde as pessoas contribuem com o conteúdo. O mesmo ocorreu com a startup Stack Exchange, que focou em formar uma comunidade de programadores.

Entender os canais de marketing e ter uma metodologia é fundamental para se conquistar tração em uma empresa e para saber qual o canal que mais atende o seu negócio, a solução é testar, buscar identificar o meio de maior eficácia.
O livro Tração traz outras informações valiosas para o empreendedor. Por exemplo, o método de Bullseye Framework, que ajudará você a encontrar o canal certo para sua empresa, no momento certo. E tem muito mais.
Vale muito a pena aplicar essas estratégias em seu negócio!

E aí, gostou de saber um pouco mais sobre o que essas estratégias podem fazer por seu negócio? Converse conosco para tirar suas dúvidas. 31 98839-8836  |  31 3245-4665Rua Dr. Plínio de Morais, 662A, Cidade Nova, Belo Horizonte/MG

Categorias
Sem categoria

O que são Jingles e o que eles podem fazer para a sua marca?

o_que_sao_jingles

O Jingle é um termo em inglês que se refere a uma espécie de mensagem publicitária musicada, que consiste em estribilho simples e de curta duração, próprio para ser lembrado e cantarolado com facilidade. Mas afinal, você sabe realmente o que são Jingles.

É considerado uma ação de mídia estratégica que pode auxiliar o transmissor de uma mensagem quando bem construído, facilitando a comunicação de uma empresa ou marca com seu público.

É como uma música desenvolvida para uma empresa, produto ou marca e é, geralmente, uma peça de áudio, ou vídeo em alguns casos, utilizada por emissoras de rádio, TV, carros de som, dentre outros meios que possuem o recurso de áudio, com o intuito de promover reconhecimento e identificação da marca, produto ou serviço.

Normalmente, um Jingle publicitário é de curta duração (de 15 a 30 segundos, em alguns casos alcançam até um minuto), pois pretende-se que ele seja memorizado e lembrado facilmente por quem o está ouvindo. Um Jingle deve também estar atrelado a uma boa história, e não somente a música.

Pode até parecer que os Jingles não têm tanta importância, que existem outros formatos de maior relevância e com um maior destaque no mercado, mas não se engane, eles estão em processos de campanhas eleitorais brasileiras há 87 anos e geram ótimos resultados em diversas áreas, levando em consideração que para cada público específico existe uma linguagem e um meio de comunicação de maior eficácia e relevância.
Clique aqui e veja 5 Jingles brasileiros famosos.

Apesar da dificuldade para mensurar a importância de um Jingle em campanhas, ele é uma ferramenta fundamental para muitas ações. O ato de decisão de compra e aceitação do público muita das vezes tem componentes racionais e emocionais, e os Jingles utilizam de elementos sonoros que despertam esses sentimentos de uma forma passiva. Continue lendo e saiba mais sobre os Jingles e sua importância.

Jingles como ferramenta de comunicação

Foi com a rádio que os jingles se consolidaram como um meio padrão da publicidade. Isso se deve aos programas de rádio, onde os textos publicitários eram cantados de improviso. Os Jingles acabaram se tornando uma importante ferramenta de comunicação.

O texto, os efeitos sonoros, as músicas de fundo, o silêncio, os ruídos, dentre muitos outros sons, são incorporados, se unindo de acordo com o interesse do transmissor da mensagem, adquirindo uma nova cara e um novo significado. Esses elementos perdem os significados que têm separadamente à medida que são combinados entre si e se transformam na mensagem a ser transmitida para o público.

Jingles geram mais Memorização

Jingles são projetados para se infiltrarem na memória e ficar lá por anos, às vezes aparecendo do nada. Psicólogos e neurologistas que estudam os efeitos da música no cérebro descobriram que uma música com uma forte ligação emocional com o ouvinte é difícil de se esquecer.

Foi essa descoberta que levou os profissionais de marketing a licenciarem músicas pop para publicidade em vez de comissionarem Jingles originais.
Acontece que algumas canções pop contêm earworms: “ganchos” agradavelmente melódicos e fáceis de lembrar que possuem os atributos de um Jingle típico.

Pesquisadores observaram que quanto mais curta e mais simples a melodia, mais provável é ficar preso em sua cabeça, é por isso que alguns dos earworms mais comuns, são os Jingles e refrões de músicas pop.

A palavra “earworm” foi popularizada por James Kellaris, um professor de marketing da Universidade de Cincinnati, que fez muito (para o bem ou para o mal) para trazer esse fenômeno à frente do estudo das técnicas publicitárias.

Não sabemos muito sobre o que causa os earworms, mas pode ser a repetição dos circuitos neurais que representam a melodia em nossos cérebros.

O que um bom Jingle é capaz de fazer pela sua empresa, marca ou produto

Um bom jingle pode fazer muito por uma marca, como trazê-la de volta ao topo dos assuntos mais falados, introduzir um novo item em pauta e trazer um maior destaque para um tema que já havia sido esquecido.

Ao ouvir um bom jingle, o receptor absorve a mensagem de uma forma muita mais leve, ela mexe com o emocional do indivíduo e ele assimila com uma maior facilidade e rapidez. O risco do ouvinte se cansar ou de não captar a mensagem da forma desejada pelo transmissor é bem menor.

A criação de uma música com base no perfil do público alvo, bem adaptada para o veículo de comunicação em questão, somada a um bom texto, trará mais animação e uma maior movimentação para o serviço ou produto que será anunciado, o que faz com que o assunto em questão apareça com facilidade na mente dos receptores, cumprindo seu papel.
Uma melodia bem trabalhada pode otimizar uma mensagem, como por exemplo, trazendo um destaque para o nome da empresa, fazendo com que ela seja facilmente lembrada.

Jingles são capaz de trazer mais personalidade para um produto, serviço ou marca, é mais fácil se lembrar de mensagens que estão fortemente presentes na mente das pessoas. Levando isso em consideração, o Jingle deve também ser composto por uma boa história, e não somente pela parte musical, tendo um contexto claro para o ouvinte.
Conheça os Jingles já criados pelo nosso CEO, Fernando Henrique Corrêa, para alguns clientes: Clique aqui!

Jingle também é para você?

Muitas empresas acham que não podem ter seus próprios Jingles, pois não tem como colocá-los em rádios. Mas com a internet, um Jingle, bem criado, pode facilmente acabar viralizando, principalmente se for criado com um vídeo legal.

Ele também pode ser tocado dentro da sua empresa, cantado pelos colaboradores, gerando grande engajamento e empatia. Então, quando uma empresa cria um Jingle, ela está se aproximando do seu público, de forma muito empática e natural.

E aí, gostou de saber um pouco mais sobre a história do Jingle e o que ele pode fazer por seu negócio? Converse conosco para tirar suas dúvidas e entenda como fazer um bom Jingle para a sua marca.

31 98839-8836  |  31 3245-4665
Rua Dr. Plínio de Morais, 662A, Cidade Nova, Belo Horizonte/MG