Lebbe

Less, but better.

Categorias
Sem categoria

Marketing Digital para e-commerce: 7 estratégias para vender mais

e-commerce

Para que o e-commerce tenha sucesso, também é importante investir em estratégias de marketing digital, pois através delas é possível promover produtos ou serviços no ambiente digital.

Diferentes ações e estratégias são utilizadas para alcançar os objetivos de vender mais, fidelizar clientes, aumentar visibilidade, gerenciar a marca, engajar colaboradores e mais.

Nos deparamos com algumas empresas que são cases de sucesso de marketing digital, e às vezes nos perguntamos qual será o segredo para alcançar o sucesso. 

Grandes marcas brasileiras como Magazine Luiza, Havaianas e Dove, por exemplo, são corporações que criam novas ideias e formatos para gerar valor e se destacar da concorrência. 

Quer saber como o marketing digital pode te ajudar a se tornar uma empresa promissora? Continue conosco, hoje vamos destacar 7 dicas indispensáveis de estratégias de marketing para o seu e-commerce crescer mais.

Boa leitura!

O que é marketing digital e e-commerce?

O marketing digital para e-commerce é realizado através de um conjunto de estratégias, que quando somadas e aplicadas geram resultados muito promissores para o comércio eletrônico.

Como sabemos, todo negócio tem seus pontos positivos e negativos, independente da segmentação. 

Com isso, as técnicas que são realizadas no marketing são pensadas de forma estratégica para que as dores e problemas sejam solucionadas, e suas forças reconhecidas pelo público.

É através das ferramentas utilizadas no marketing para e-commerce que as grandes marcas criam posicionamentos, engajamento, fidelizam clientes, vendem mais e ganham visibilidade.

Como o e-commerce tem se transformado com o marketing digital?

e-commerce estratégias

O marketing digital tem sido uma alternativa interessante e vantajosa para o negócio, que inclusive abrange qualquer segmentação de mercado.

Foi divulgado no site E-commerce Brasil que no ano de 2021 o e-commerce brasileiro apresentou um faturamento recorde, ultrapassando R$ 161 bilhões

Esse dado demonstra o avanço do e-commerce, e que essa tem sido para as empresas uma nova forma de fazer negócio. Entretanto, vale lembrar que o mercado digital é extremamente competitivo, e uma das maneiras de se destacar é investindo em marketing digital.

O que deve ser observado pelas empresas é que o digital está se transformando cada dia mais, e a tendência é que as pessoas se adaptem ainda mais aos novos formatos de compra e venda.

E como sabemos, o comércio precisa estar nos mesmos lugares que seu público, criando posicionamentos e identificação.

Quais as melhores estratégias de marketing para e-commerce?

marketing digital

O sucesso do e-commerce é algo sonhado por todos os empreendedores, entretanto colocam de lado as ferramentas fundamentais de marketing digital.

É essencial investir nas estratégias eficientes para obter os melhores resultados, vejamos algumas delas:

1. Tráfego pago

Nos deparamos com anúncios diariamente quando acessamos a internet, seja em sites ou em redes sociais. Essas são estratégias para fazer com que as pessoas visitem um site, uma loja ou uma página através das veiculações de campanhas que são realizadas em plataformas específicas.

Em outras palavras, o tráfego pago é um investimento fundamental para as empresas, pois através dele é possível atrair potenciais clientes para conhecer, relacionar com a marca e comprar.

Funciona da seguinte maneira: primeiro é preciso realizar um planejamento e estudo sobre o público-alvo, segmentação de campanha, tipo e formato de veiculação e as plataformas de canais onde os anúncios irão aparecer.

Após essas etapas, têm que ser escolhido o orçamento e como ele será cobrado, visto que existem duas formas, o CPC e CPM.

O CPC é uma sigla que representa o custo por clique, que significa que a empresa precisará pagar cada vez que houver uma interação (clique) na campanha veiculada, sendo essa uma opção bastante significativa para quem busca gerar conversões (visitas na página).

O CPM é o custo por mil impressões, que significa pagar apenas quando houver a visualização de mil pessoas no anúncio. Neste caso, é indispensável investir mais em anúncios relevantes, para que o reconhecimento da marca ganhe mais visibilidade no mundo online.

Para gerar tráfego pago, existem algumas plataformas disponíveis, sendo o Google Ads mais conhecido e mais utilizado. Entretanto, existem outras plataformas, como a do Facebook Ads, Instagram Ads, YouTube Ads, LinkedIn Ads e Taboola. 

2. Inbound Marketing

Inbound marketing é uma excelente estratégia de conteúdo voltada para públicos específicos, relacionando e atraindo leads qualificados.

Através de conteúdos relevantes e de valor, é possível atrair, engajar e manter uma boa fidelização com o público. Assim, os objetivos de atração, conversão, venda e encantamento são atingidos.

Em outras palavras, podemos entender que o inbound marketing são ações que atraem clientes que tenham interesse em comprar serviços ou produtos de uma determinada empresa, por isso que dizemos que o lead é qualificado (contato capturado que demonstrou interesse ou intenção).

Portanto, vale lembrar que para conquistar esse contato, o conteúdo de qualidade é indispensável, pois é ele quem conquista a atenção de potenciais consumidores, transformando a marca em uma referência e autoridade no assunto.

3. Estratégia de cross-selling e upselling

Cross-selling significa venda cruzada em português. Esta é uma estratégia muito importante para um e-commerce, e para compreendermos melhor, podemos mencionar as ocasiões em que realizamos a busca por algum produto na internet.

Nestes casos, aparecem itens semelhantes ou relacionados ao que adicionamos ao carrinho. Por exemplo, se uma pessoa adicionar à sacola do site um tênis, ela também vai começar a receber as ofertas e descontos de itens relacionados, como meias, palmilhas e outros acessórios.

Já no caso do up selling, o objetivo é fazer com que o usuário troque os itens por outros superiores. Esta é uma ação que pode funcionar muito bem, caso o desconto do produto seja vantajoso. 

4. Taxa de conversão 

A taxa de conversão trata-se de uma métrica fundamental para o e-commerce, pois é através dela que pode ser entendido como está o retorno de cada investimento realizado.

São formas de medir as estratégias que estão sendo realizadas, para que assim as ações possam ser aprimoradas, para que a empresa tenha melhores resultados.

O cálculo é basicamente assim, dividimos o número de visitas pelo número de conversões. A depender dos resultados, algumas estratégias são repensadas.

O ideal aqui, é que seja compreendido que aumentar a taxa de conversão, pode dobrar vendas.

5. SEO

SEO é uma sigla pequena, mas é uma estratégia que impacta positivamente os negócios.

Search Engine Optimization ou “otimização para motores de busca” em português, são otimizações realizadas no site, nos blogs e em páginas da web. O intuito é fazer com que os buscadores orgânicos sejam aprimorados. 

Quando fazemos uma pesquisa no Google, os links das páginas aparecem são as que têm mais visibilidade e cliques, pois as estratégias de SEO foram aplicadas da maneira correta.

Isto significa: conteúdo de qualidade, boa usabilidade do site, utilização de palavras-chaves, tags, imagens, vídeos, descrições e outras técnicas.  

Leia também: como alcançar o topo do Google em 2022.

6. Escalar a equipe de marketing

Um time de marketing tem experiência em entender quais estratégias e ações de marketing devem ser aplicadas para cada tipo de negócio.

Para que um comércio eletrônico possa ter os melhores resultados, é ideal aplicar todas essas técnicas que mencionamos ao decorrer do conteúdo. Essa é uma tarefa que requer estudos e análises de uma equipe mais ampla, onde cada profissional ficará responsável por demandas e etapas diferentes.

Uma agência de marketing digital, por exemplo, tem toda a estrutura necessária para campanhas, veicular ações e monitorar resultados.

As vantagens de investir em uma agência são: 

  • Desenvolve o relacionamento duradouro com o público;
  • Cria fidelização da marca;
  • Transforma dados em ações estratégicas;
  • Aumenta a credibilidade do e-commerce;
  • Auxilia o cliente na tomada de decisão de compra;
  • Promove maior confiança no planejamento e nas execuções das ações.

7. Analisar resultados

Mensurar os resultados é importante para que os indicadores possam ser interpretados. A partir disso, as decisões de um planejamento são tomadas para trazer sucesso.

Como sabemos, não se faz um planejamento de marketing sem antes ter um objetivo e analisar quais resultados seriam mais eficazes. Por este motivo, é ideal ter um panorama geral da empresa e de cada detalhe dela.   

Marketing digital como um diferencial para o seu e-commerce

e-commerce

O e-commerce deve ter o marketing digital aplicado para que as vendas sejam impulsionadas. 

Através das estratégias que você pôde acompanhar durante o conteúdo, é possível divulgar serviços ou produtos para alcançar novos clientes, sendo o custo mais baixo, se comparado aos investimentos em revistas impressas, TV, rádio e outros meios de comunicação tradicionais.

Comece a otimizar os seus resultados! Acesse nosso blog e aprenda a ter bons retornos financeiros no seu e-commerce.

Até a próxima!

Categorias
Sem categoria

O que é E-commerce? Tipos, como funciona e como criar o seu, na prática!

e-commerce

O e-commerce é um setor que tem sido fundamental para as empresas. Com o avanço da internet e da tecnologia, a facilidade permite novas formas de fazer negócios.

Entretanto, é importante ressaltar que o e-commerce vai muito além de apenas uma compra e uma venda.

Através de suas modalidades, é possível adquirir muitas vantagens, como ter um menor custo operacional, ganhar maiores chances de vender, fidelizar o público, ter acesso a resultados e muito mais.

Outro ponto positivo é que o e-commerce tem uma versatilidade grande, ou seja, pode ser aplicado em diferentes tipos de segmentação de mercado.

No artigo de hoje, você verá quais são os tipos de e-commerce, como funciona, qual a sua importância e os dados que apontam o seu crescimento no mercado. Continue conosco para descobrir como gerenciar o seu e-commerce da forma correta.

Boa leitura!

O que é e-commerce?

Também conhecido como comércio eletrônico, o e-commerce vem crescendo no mercado para oferecer às empresas uma nova forma de fazer negócios.

Enquanto consumidores, sabemos como as compras digitais têm sido práticas, uma vez que não é mais necessário se locomover e perder tempo para adquirir um determinado produto ou serviço.

Negociações e atendimentos online estão disponíveis, sendo essa execução resolvida em questão de poucos minutos, basta ter acesso à internet.

A realidade do cenário da covid-19 no Brasil pode ter contribuído com o crescimento do e-commerce, dado que nos vimos de quarentena, tendo que realizar compras na modalidade online.

Segundo a NeoTrust, o Brasil no ano de 2020, marcou 301 milhões de compras online. Isto significa uma alta de 68,5% em comparação ao ano anterior.

Isto posto, já podemos mencionar como o e-commerce pode trazer para as empresas vantagens relacionadas às vendas e ao relacionamento com cliente, pois é uma ótima oportunidade de fazer negócios.

Qual é a importância do e-commerce e como ele funciona?

e-commerce

Como podemos ver durante o artigo, o e-commerce é uma oportunidade de negócio muito promissora, não é atoa que as grandes marcas se adaptam a modalidade online.

A internet rompe as barreiras geográficas, sendo esse um fator muito importante para as empresas, uma vez que é possível vender para diferentes públicos, independente da localização.

Além disso, o e-commerce funciona 24 horas, sendo que os clientes não precisam esperar para serem atendidos, pois têm atendimento online, que no primeiro momento pode ser realizado através do chatbot.

Tudo se torna muito prático e rápido, e é justamente isso que o consumidor hoje busca. 

O relatório da Zendesk demonstrou que a agilidade é um fator prioritário para 56% dos gerentes de atendimento, isso porque as empresas devem proporcionar experiência ao cliente para obter sucesso.

O e-commerce pode ser criado das seguintes maneiras: começar uma loja virtual do início, usando as plataformas de marketplace ou contratando uma plataforma online de compra e venda que realize personalizações.

Leia também: Marketing Digital para e-commerce: como gerar resultados na sua loja virtual.

Quais são os tipos de e-commerce?

Para compreendermos em quais modelos de e-commerce se encaixa em cada tipo de negócio, importante mencionar B2B, B2C, C2C, C2B, B2A, D2C e outras modalidades, vejamos: 

Business to business (B2B)

O modelo de negócio B2B é realizado de empresa para empresa. Como exemplo, podemos citar algumas situações desse modelo, como uma consultoria jurídica que realiza serviços para bancos ou uma fábrica que vende materiais para montadoras de carros.

Business to consumer (B2C) 

Este modelo é o mais comum, significa “empresa para consumidor” em português. Serviço ou produtos são vendidos de forma direta para o comprador. O B2C tem a forma de transação mais simplificada e um mercado amplo.

Consumer to consumer (C2C) 

No caso do e-commerce C2C ou “consumidor para consumidor”, a negociação de compra e venda é realizada entre os consumidores. Ebay, o Enjoei e o Mercado Livre são exemplos de sites que são utilizados para realizar este tipo de negócio.

Consumer to business (C2B) 

Ao contrário do que acontece no modelo B2B, que explicamos anteriormente, o C2B tem a transação realizada entre pessoa física e pessoa jurídica. É ainda pouco conhecido no mercado, porém o e-commerce tende a crescer ainda mais, e este cenário do C2B pode expandir.  

Business to administration (B2A)

A sigla B2G (Business to Governmen) também é conhecida por este modelo, pois estamos nos referindo a venda de produtos ou serviços entre empresas governamentais através de licitação (concorrência pública). Por exemplo, existem empresas de engenharia prestando serviços para obras do Governo, portanto elas se encaixam no comércio B2A.

Direct to consumer (D2C)

D2C (Direct to Consumer) ou na tradução livre para a nossa língua “direto ao consumidor” é uma comercialização realizada diretamente com o consumidor, sem que haja a necessidade do envolvimento de terceiros. 

O D2C cresceu muito nos últimos anos, dado o avanço do e-commerce. Uma prova disso é que tanto a China quanto os EUA, dominaram o mercado D2C, conforme o levantamento divulgado pela CB Insights.

M-Commerce

Sabemos como o celular tem sido algo prático em nossas vidas, e por este motivo o Mobile commerce, ou m-commerce, são as vendas online realizadas através de dispositivos móveis, como smartphones e tablets. 

O segmento está ganhando força, principalmente depois que as vendas começaram a ter sucesso em aplicativos e jogos. 

S-Commerce

Traduzido para o português, social commerce é um segmento que explora as relações e as experiências de compras nas redes sociais. Em outras palavras, o S-commerce explora as pesquisas que são realizadas pelo público antes de tomar a decisão de compra.

Por este motivo, é de fundamental importância que as empresas marquem presença no ambiente virtual, pois a busca por produtos e serviços também ocorre nas redes sociais.

T-Commerce

Ao assistir algo na televisão, já nos deparamos com banners ou QR codes na parte inferior de um programa, ou de uma publicidade, não é mesmo? Essa é uma modalidade do T-commerce, também conhecido como comércio de televisão.

São abordagens interativas que são realizadas com o telespectador. As grandes marcas que trabalham com tecnologia para televisão digital já estão desenvolvendo avanços para o crescimento dessa modalidade. 

Como começar a criar o meu e-commerce?

e-commerce

Agora que já mencionamos aqui todas as modalidades de e-commerce, é importante ressaltar que, para começar a criar o comércio eletrônico, é indispensável realizar estudos, planejamento de marketing e de logística, investimentos e escolher plataformas.

Esses são alguns passos realizados para criar um e-commerce do zero. Para tanto, vale buscar o auxílio de profissionais que dominam o assunto e sabem aplicar as estratégias certas para o comércio online vender mais.

Não adianta criar um e-commerce que não traz resultados, pois neste caso os investidores se sentem frustrados e não tem retorno financeiro.

Descubra como gerenciar o seu e-commerce da forma correta e impulsione as vendas online, acompanhe nossos conteúdos no blog.  

Categorias
Sem categoria

Marketing Digital para e-commerce: como gerar resultados na sua loja virtual

Para que o e-commerce se destaque e saia na frente da concorrência, é fundamental desenvolver uma estratégia de Marketing Digital.

Segundo a pesquisa da Opinion Box, o hábito de fazer compras online continua em grande crescimento. 86% dos entrevistados afirmaram que têm esse hábito. Além disso, desses, 37% fazem compras online mensalmente e 23% compram semanalmente.

Assim como em um negócio físico, no online, você também precisa estar presente, ter um bom atendimento, se relacionar com seu público e, principalmente, planejar estratégias para vender e divulgar sua marca. 

Com ações bem planejadas, é possível diferenciar a sua marca e atingir os clientes ideais para o seu negócio, aumentando sua presença online e, consequentemente, suas vendas. 

O marketing digital para e-commerce se tornou uma ferramenta extremamente eficiente. Neste artigo, vamos te explicar o que é, qual a sua importância e como utilizar o marketing digital para gerar resultados na sua loja virtual.

O que é Marketing Digital? 

O Marketing Digital é um termo utilizado para representar um conjunto de estratégias que são utilizadas para promover produtos e empresas no ambiente online.

As pessoas utilizam a internet para adquirir produtos, contratar serviços e fazer pesquisas, certo? Por isso, foi preciso criar ferramentas que pudessem captar e processar tendências e comportamentos no mundo digital e, assim, aperfeiçoar os negócios.

Entre os canais mais utilizados, estão as redes sociais, buscas no Google, e-mails e sites que conectam as empresas com o público que já têm e os potenciais clientes, também conhecidos como leads.

Conforme o relatório State of Mobile 2022, publicado pela App Annie, os brasileiros são os usuários que mais passam tempo no celular. Com 5,4 horas por dia, a média lidera o ranking global.

Grande parte desse tempo é em redes sociais, sendo que o TikTok, Instagram, Facebook, WhatsApp e Telegram foram os apps mais baixados do ano.

No Marketing Digital, podem ser utilizadas diferentes ações e canais digitais, cada um com sua estratégia e objetivo. Contudo, o intuito principal é solucionar as dores, necessidades e desejos do público-alvo do seu negócio.

Para isso é feita uma comunicação direta e personalizada com as pessoas certas, na hora certa, com a finalidade de fortalecer relacionamentos, consolidar marcas e gerar novas oportunidades de vendas.

Com isso, o Marketing Digital contribui diretamente para o crescimento das suas vendas e do seu e-commerce como um todo. Além disso, é um investimento acessível para pequenos e médios negócios também. 

Por que investir em Marketing Digital para e-commerce?

O mercado digital é extremamente competitivo, para destacar o seu e-commerce é fundamental investir em marketing digital. Pois, as estratégias são desenvolvidas para atrair e reter as pessoas que podem se interessar por seus produtos ou serviços.

Afinal de contas, não adianta apenas criar um site e uma página nas redes sociais e não saber como utilizá-los a seu favor. A função do marketing para o e-commerce vai além da divulgação, também é importante para trazer segurança e confiança sobre sua marca para os consumidores.

Por exemplo, destacar-se nos mecanismos de buscas pode aumentar a quantidade de acessos à sua loja virtual e, consequentemente, o número de vendas. 

São muitas as vantagens de investir no marketing digital para e-commerce, como:

  • Aumento da visibilidade;
  • Aumento do índice de vendas;
  • Gerar credibilidade;
  • Reduzir o CAC (Custo de Aquisição de Clientes);
  • Relacionamento com o público-alvo;
  • Fidelização do cliente;
  • Ótimo custo-benefício.

Como fazer marketing digital para e-commerce?

Em meio a tantas opções disponíveis na internet é preciso fazer com que seu e-commerce se destaque. Por isso, as estratégias de marketing digital serão suas aliadas nessa tarefa. 

Existem cada vez mais recursos para promover sua empresa no ambiente online, mas é importante definir ações que condizem com os seus propósitos e, consequentemente, com as necessidades do seu público-alvo.

Conheça as principais estratégias de Marketing Digital e como utilizá-las no seu negócio:

Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo é uma tendência em constante crescimento e que traz inúmeros benefícios para os e-commerces, sendo uma das principais estratégias de Marketing Digital.

O objetivo é criar e divulgar conteúdos relevantes e de valor para atrair, engajar e fidelizar o seu público-alvo. Assim, sua marca ganha autoridade e consegue gerar novos negócios.

O conteúdo pode ser criado em diferentes formatos, como posts nas redes sociais e artigos para blogs. O mais importante é que sejam voltados para atender as dores e interesses das suas personas no estágio do funil de vendas em que elas se encontram.

Por exemplo, se seu e-commerce é de roupas, você pode atrair potenciais clientes que estão no topo do funil com dicas e tendências de looks, posicionando seu negócio como uma referência no universo da moda, além de ajudar seu público com informações valiosas.

Esses conteúdos podem ser disponibilizados em um blog, que comprova como sua empresa entende bastante do assunto e é uma ótima ferramenta para atração de visitantes. Pode ser mais simples apresentando algumas dicas ou mais técnico com descrição de produtos. 

É fundamental fazer a descrição dos produtos no seu site, mas sempre aplicando estratégias de SEO para que o Google possa rankear seu e-commerce da melhor maneira possível na busca orgânica. 

Inbound Marketing

O objetivo do Inbound Marketing é atrair, converter, vender e encantar as personas de um negócio. A estratégia é criada por meio do Marketing de Conteúdo, que já explicamos acima.

Portanto, é uma ótima opção se você deseja que sua marca seja encontrada por seus futuros clientes. Afinal, ao contrário do outbound marketing (processo de prospecção ativa), o inbound atrai potenciais clientes por meio da identificação e geração de demanda.

Ao invés de interromper o cliente com publicidades, a proposta do inbound é apresentar a sua marca de forma orgânica para quem está em busca de informação. 

Para isso é utilizado o funil de vendas, ou seja, os potenciais clientes precisam ser nutridos — recebendo conteúdos e interagindo com a marca de maneira crescente, terminando apenas quando a venda é realizada. 

Os conteúdos são direcionados para as suas personas e as etapas em que elas se encontram no funil de vendas (topo, meio e fundo). O funil representa o caminho trilhado por um consumidor até realizar a compra.

SEO

SEO (Search Engine Optimization, que em português significa otimização para mecanismos de busca, é um conjunto de práticas para melhorar seu posicionamento nos resultados orgânicos dos mecanismos de busca. 

Ou seja, o objetivo é otimizar seu site para alcançar os primeiros resultados em ferramentas como o Google. De acordo com a pesquisa feita pela Hubspot, 61% dos profissionais de marketing dizem que melhorar o SEO e aumentar o tráfego orgânico é a prioridade do inbound marketing.

É muito importante que o seu e-commerce tenha uma boa visibilidade e seja facilmente encontrado pelos consumidores. Assim, você conquista mais oportunidades de venda para o seu negócio.

Vale ressaltar que o SEO é uma estratégia de médio à longo prazo, o tempo para alcançar bons resultados é de no mínimo 3 meses. Porém, são resultados que valem a pena, pois você aumenta as visitas sem ter nenhum custo e ainda tem visitantes mais dispostos a efetuar a compra.

Algumas práticas de SEO que você pode utilizar no seu e-commerce são:

  • Definir palavras-chave estratégicas;
  • Inserir as palavras-chave nas suas páginas; 
  • Criar URLs curtas, diretas e amigáveis; 
  • Ter páginas rápidas e responsivas;
  • Estruturar bem a arquitetura do seu site;
  • Produzir conteúdos de qualidade para o blog.

Impulsione os resultados da sua loja virtual

Esperamos que você tenha entendido a importância do Marketing Digital para o seu e-commerce. Para conseguir implementar as estratégias e gerar resultados é preciso contar com profissionais qualificados e experientes.
Com paciência e dedicação, você vai conseguir ampliar sua visibilidade online e vender mais. E, se você quiser conhecer mais técnicas de vendas para o seu e-commerce, leia também nosso conteúdo com 9 dicas de promoções para seu e-commerce vender mais!

Categorias
Sem categoria

SEO para e-commerce: guia completo para otimizar sua loja virtual

O setor de e-commerce está em alta nos últimos anos, pois a preferência pela compra online tem sido constante após as mudanças observadas no  comportamento de compra do consumidor.

Não é em vão que 82% dos compradores brasileiros realizaram compras na internet, sendo esse modelo o favorito da clientela. Os dados sobre essa preferência de 74% dos consumidores foram publicados no E-Commerce Brasil.

Porém, para que as lojas virtuais atinjam este público, é necessário realizar as técnicas de SEO para otimizar o site e fazer com que ele se destaque na busca orgânica do Google. 

Quer saber como? Continue a leitura, no artigo de hoje vamos destacar o que é SEO, qual é o seu papel no e-commerce e como otimizar as vendas através dessa estratégia.

Boa leitura!

O que é e-commerce?

E-commerce ou comércio eletrônico são lojas que vendem seus produtos ou serviços online.

Essa é uma modalidade que está ganhando força: um estudo da Mastercard divulgou que no ano de 2020, o e-commerce brasileiro teve o crescimento de 75%. 

Essas são informações que devem ser levadas em consideração por todo empreendedor, pois é uma alternativa vantajosa para qualquer tipo de segmentação. A tecnologia e a evolução digital tem oferecido a este meio uma nova forma de fazer negócios, de se comunicar, de vender e de se tornar uma referência.

Hoje em dia, é natural que façamos compras online, principalmente porque a pandemia acelerou este processo. No ano de 2020, quando a covid-19 chegou ao Brasil, nos vimos isolados e bem mais conectados. 

Em 2021, as compras online bateram o recorde, atingindo R$ 161 bilhões, de acordo com as informações do Estado de Minas Economia.

A partir desse ponto, já podemos compreender como os hábitos e comportamento dos consumidores mudaram. 

Sendo assim, é de extrema necessidade que as empresas se adaptem a esta modalidade caso os objetivos a serem atingidos sejam:

  • Ter um maior número de vendas;
  • Criar posicionamento de marca;
  • Oferecer ao público experiência diferenciada e única;
  • Se destacar da concorrência;
  • Ser uma preferência para os consumidores;
  • Expandir a marca;
  • Ganhar visibilidade e dentre outros.

Esses são os pontos positivos que abrangem todo comércio eletrônico, mas para que isso aconteça, é de fundamental importância que o e-commerce tenha um site de alta conversão, porque essa é uma estratégia desenvolvida para converter visitas em vendas e gerar lucro.

Além disso, o e-commerce precisa seguir as novas tendências para o ano de 2022, que são:

Principais tendências para 2022

Omnichannel: essa é uma estratégia realizada para sincronizar e integrar todos os canais de compras, o que é essencial para deixar os meios de vendas mais consistentes e flexíveis.

O omnichannel é uma boa ação para que as empresas possam fidelizar clientes através da experiência proporcionada, uma vez que a abordagem de vendas estará inserida em diversos canais.

e-commerce

Realidade aumentada: a tecnologia oferece às empresas a oportunidade de proporcionar a seus consumidores a experiência de realidade aumentada.

Com essa facilidade, não é mais preciso sair de casa para experimentar roupas, óculos e sapatos, por exemplo. É possível fazer isso apenas com acesso à internet, basta utilizar a câmera do celular e selecionar o produto para ver o caimento.

Outro ponto positivo é que essa estratégia pode ser adotada por diferentes tipos de segmentações. Lojas que vendem tintas ou móveis também podem proporcionar essa incrível comodidade aos seus clientes.

Voice Commerce: é a possibilidade de fazer compras e pesquisas no digital através da voz. Essa é uma ferramenta que agiliza o processo de consumo. 

Fazer perguntas a Siri ou ao Google já é normal, é algo que fazemos com frequência, esse é um comportamento que deve ser analisado e aplicado aos negócios.  

Empresas que se adaptam aos hábitos de seu público, se diferenciam diante da concorrência e se tornam referência e inovação no mercado.

Recommerce: sempre temos algum item em casa que compramos e não usamos mais, não é mesmo? Pois bem, o recommerce surge com essa proposta, de diminuir o consumo demasiado.

Aliás, essa é uma forma de contribuir com o meio ambiente, visto que o descarte incorreto é evitado, pois os objetos não são mais jogados fora e sim reformados e depois vendidos.

Essa tendência envolve tudo que é durável, como roupa e utensílios domésticos. A modalidade vem crescendo, principalmente porque o consumidor está mais consciente, portanto, vendas de itens que reduzem os impactos ambientais é essencial.

Diferentes meios de pagamentos: as formas de pagamento são bastante significativas, pois mesmo que o usuário tenha uma experiência boa durante a navegação de compra, a etapa final de pagamento deve oferecer diferentes escolhas.

Pix, cartão de crédito, oferecer parcelamento, cartão de débito e boleto bancário são formas diferentes de pagamentos que agradam os consumidores. 

Atendimento automatizado: essa tendência de e-commerce é muito importante para agilizar o atendimento, não deixar o cliente esperando e para que a equipe de atendimento possa realizar outras atividades mais urgentes, otimizando assim a jornada de trabalho.

O atendimento pode ser automatizado pelo chatbot, que ajuda a agilizar a assistência, respondendo às dúvidas básicas dos consumidores, sem que haja a necessidade de uma pessoa para fazer este papel.

É possível configurar as mensagens para diferentes respostas, a depender da pergunta de cada cliente, assim as respostas não ficam robóticas e superficiais.

Tipos de e-commerce

Existem diferentes tipos de e-commerce, essa modalidade muda conforme o consumidor final. Para entendermos melhor, separamos em tópicos cada um deles:

Business to Business (B2B):

“Empresas para empresas”, essa é a tradução do B2B na língua portuguesa. Esse modelo de negócio tem transações realizadas entre organizações.

Em outras palavras, são corporações que vendem materiais para outras instituições. Como exemplo, podemos citar a venda e a compra de equipamentos como computadores e materiais de escritórios entre organizações.

Business to consumer (B2C):

Business to Consumer ou “empresa para consumidor”, é quando uma instituição vende diretamente para o consumidor através da loja online, sem que haja a necessidade de um lojista ou um revendedor.

São empresas que tem como finalidade vender produtos ou serviços para consumidores, e não para organizações, independente da segmentação.

Consumer to consumer (C2C):

Esse modelo de e-commerce acontece quando existe a transação entre dois ou mais consumidores. A tradução já nos diz muito, significa “consumidor para consumidor”.

A título de exemplo podemos citar a empresa OLX, que tem uma plataforma onde é permitido realizar a venda ou a compra de itens, tudo entre consumidores.

Consumer to business (C2B):

Também conhecido como “consumidor para empresa”, neste caso, o tipo de e-commerce é diferente porque quem vende o serviço é o consumidor e o comprador é a empresa.

A título de exemplo, podemos citar os sites onde freelancers divulgam seus trabalhos e preços e são contratados por empresas para fazer o serviço.

Business to administration (B2A):

O serviço prestado para governo através de licitação é um exemplo de Business to administration, que também é conhecido como Business to Government (B2G).

Essa modalidade é bastante diversificada, são serviços diferentes prestados para a administração pública.

O que é SEO?

Agora que já sabemos sobre quais são os tipos de e-commerce e como cada um funciona, vamos explicar o que é SEO e como este fator pode ser fundamental para ajudar as lojas virtuais.

SEO é uma sigla (Search Engine Optimization) que traduzida para o português, significa otimização de mecanismo de busca. 

Essa é uma técnica muito eficiente, pois serve para otimizar as páginas de sites, blogs ou lojas virtuais, a fim de criar autoridade e fazer com que a página se destaque no rankeamento do Google através da busca orgânica.

As técnicas de SEO são passos importantes para todo site, que são estrategicamente definidas conforme os fatores de rankeamento que influenciam os resultados orgânicos.

Assim sendo, para que as lojas vendam mais e apareçam na primeira página do Google, é importante que se tenha as técnicas de SEO aplicadas. 

Fatores que influenciam o rankeamento no Google

Apesar das maravilhas que o Google nos proporciona com suas ferramentas, conquistar o rankeamento do Google e influenciar os resultados orgânicos não são tarefas tão simples.

Isto porque, o Google analisa o tamanho e a qualidade do conteúdo no site, verifica a quantidade de palavras-chave, velocidade de carregamento, imagens, arquivos e outros aspectos que são de extrema importância. 

Pesquisa de palavras-chave:

A definição de palavra-chave é um dos primeiros passos que devem ser dados para conquistar o topo do Google

Essa escolha pode ser facilitada com o uso de ferramentas que demonstram volume de busca, dificuldade de SEO, nível de concorrência e outros dados. 

A palavra-chave é muito importante, pois é através dela que o conteúdo ou produto pode ser encontrado pelo público.

Essa pesquisa pode ser feita nas ferramentas Ubersuggest e Semrush, que tem versões grátis e pagas.

Outro ponto muito importante, é a utilização da palavra-chave ou da variação dela durante a descrição do texto. Essa técnica ajuda a ter um resultado melhor no Google.

Uso de imagens e vídeo: 

O Google também é um buscador de imagens, e isso deve ser levado em consideração, pois é possível que o usuário encontre o conteúdo ou produto do e-commerce através dessas imagens.

Sendo assim, vale utilizar imagens e vídeos de qualidade que completem o conteúdo. Além do mais, essa é uma maneira de tornar a leitura mais dinâmica e a informação do item mais fácil para o cliente.

No caso de uma leitura sobre um determinado objeto, por exemplo, as imagens ou um vídeo mais específico sobre as qualidades e as características servem para atrair o comprador e fazer com que este finalize a compra.

Isto é, um e-commerce que deseja influenciar o rankeamento do Google, precisa investir na qualidade do site como um todo, inclusive na multimídia.

Bom layout:

O layout também é uma característica muito importante para o Google e para os usuários. O designer é fundamental para valorizar o site e para criar identificação com o público. 

Além da parte visual, a loja online deve oferecer aos usuários uma intuitiva navegação, para que este não perca tempo tentando achar uma informação ou um produto.

O trabalho de um profissional UX Design seria de fundamental importância neste ponto, pois este sabe identificar as necessidades e problemas do usuário na plataforma, desenvolvendo pesquisas para melhorar as estratégias e resolver as dificuldades dos clientes.

Conteúdo de qualidade:

Lojas virtuais podem oferecer no site conteúdos sobre os produtos ou serviços, para falar mais sobre os benefícios e a qualidade que o comprador pode ter ao adquirir a compra.

Esse pode ser um jeito de convencer o cliente a tomar a decisão de compra, entretanto o conteúdo precisa ter qualidade.

A linguagem deve ser escrita conforme o público da marca compreende, os subtítulos e os títulos devem ser atrativos e completos, para que todas as dúvidas sejam respondidas durante o artigo. 

Quais são os benefícios do SEO para e-commerce?

Todas as características mencionadas durante o conteúdo, ajudam a loja virtual a deixar o site em uma boa posição na ferramenta de busca do Google, consequentemente as visitas orgânicas aumentam e o número de visitantes e vendas crescem. Tudo que um comércio eletrônico precisa. 

As buscas por essas vantagens não são fáceis de serem atingidas, mas não são impossíveis. Basta que as técnicas de SEO sejam aplicadas por um profissional experiente na área para que os resultados obtidos sejam satisfatórios.

E então, para dar início, que tal começar entender mais sobre o que acontece no digital? Fique por dentro das novas tendências e otimize a sua loja virtual com as técnicas de SEO! Clique aqui e acesse o nosso blog.

Categorias
Sem categoria

Dia do Consumidor 2022: 9 dicas de promoções para seu e-commerce vender mais

O Dia do Consumidor tem ganhado relevância no comércio eletrônico, sendo considerado a “Black Friday do primeiro semestre” e a primeira grande data do ano no calendário do e-commerce.

Anualmente, este calendário possui alguns períodos em que se pode prever que as vendas irão aumentar. 

De acordo com um estudo da NZN Intelligence, 74% dos brasileiros mudaram seu comportamento e, agora, preferem comprar pela internet.

Isso mostra que ações, promoções, condições especiais de compra e outros incentivos no e-commerce nesta data, podem render um grande retorno para o setor, pois, invariavelmente o consumidor se sentirá valorizado. 

E o evento não se resume a um único dia: nos últimos anos, ele tem movimentado uma semana inteira de ofertas para atrair os clientes e potencializar os resultados do varejo.

Isso porque, de acordo com os dados do relatório da AlliN, em 2021, os e-commerces faturaram R$6,3 bilhões só na primeira quinzena de março — um crescimento de 85% em relação ao ano anterior. 

O dia do consumidor no Brasil é comemorado todos os anos, no dia 15 de março. Essa data foi criada para lembrar dos direitos que o consumidor tem e para que as leis que defendem os mesmos sejam respeitadas.

Existem formas de homenagear e demonstrar que essa data é importante, através dos descontos, das ofertas e das promoções que as empresas oferecem a seus consumidores. 

Sendo assim, hoje separamos 9 dicas de promoções para o seu e-commerce vender mais e aprender a desenvolver estratégias de marketing para atrair novos consumidores no mercado digital.

As compras online têm avançado cada vez mais nos últimos anos. Em janeiro de 2022, o e-commerce registrou uma alta de 20,56% nas vendas, conforme os dados apontados pelo indicador MCC-ENET, uma parceria entre a Companhia Compre & Confie e a Câmara Brasileira da Economia Digital.

Continue a leitura, no artigo de hoje, vamos falar sobre como entregar qualidade, criar sentimento de urgência, fazer promoções para atrair novos clientes e outras dicas valiosas para e-commerce.

Boa leitura!

Qual é a importância do Dia do Consumidor para as lojas virtuais?

Apesar do dia ser feito para lembrar dos direitos do consumidor, essa data pode ser muito vantajosa para as lojas virtuais, pois é uma data estratégica para atrair novos clientes através de promoções, cupons e ofertas relâmpagos, por exemplo.

O ideal é que através dessas ações seja criada uma relação entre marca e consumidor para melhorar o engajamento, criar fidelização e aumentar as vendas. 

Quanto antes as lojas começarem a fazer um planejamento, melhor será a estratégia. Assim, fica mais fácil executar as ações e ter um retorno positivo.

O marketing de relacionamento funciona muito bem, principalmente quando através de ações a empresa consegue se aproximar ainda mais de seus clientes, mantendo boas relações com eles.

Em outras palavras, o dia do consumidor é essencial para que as lojas virtuais possam conhecer a fundo o seu público, criando laços de fidelidade com eles.

Quais tendências podem ser aplicadas para e-commerce na Semana do Consumidor?

Independente do tipo de produto ou serviço que as empresas ofereçam, elas podem estar presentes na loja virtual, o que facilita as vendas e fornece aos empresários inúmeras vantagens.

Ao falar de e-commerce, não poderíamos deixar de trazer aqui as tendências, que inclusive podem ser aplicadas para o dia do consumidor.

O recommerce, que é a prática de colocar itens utilizados de volta no mercado, é uma tendência de e-commerce que surge também como uma forma de contribuir com a sustentabilidade, uma vez que o descarte de objetos não é mais feito.

Além disso, temos os prazos de entregas menores como uma tendência. Já sabemos que os clientes hoje querem rapidez e poder entregar essa exigência é um diferencial que conquista os consumidores. Portanto, vale o investimento em meios que desenvolvam uma boa logística.

O marketplace também é uma tendência. Ele é fundamental, pois essa modalidade tem uma estrutura parecida com a de um shopping, ou seja, um ambiente com variados tipos de itens e serviços.

O marketplace é um canal de venda que possui alto tráfego, o que por sua vez tem grande valia, visto que é o ideal para fazer campanhas no dia do consumidor.

Falaremos mais à frente detalhadamente sobre essas tendências.

Leia também: Qual é a importância da criação de site para empresas?

O que os e-commerces devem fazer no Dia do Consumidor?

No dia do consumidor, geralmente as marcas apenas colocam seus produtos com descontos sem nem pensar nas outras estratégias.

O que queremos ressaltar aqui é que os descontos e as promoções são apenas uma parte de um conjunto de ações que devem ser pensadas para que o e-commerce venda mais.

Para dar início, um planejamento para o dia da campanha já ajuda bastante. Isso porque nele irá constar todas as etapas que devem ser definidas e o objetivo de cada uma delas.

Para desenvolver essa etapa de maneira eficaz, pode ser feito um estudo aprofundado sobre em qual negócio a empresa está inserida, quais são as tendências e as possíveis oportunidades.

Assim, fica mais claro no momento de tomar decisão o que pode ser feito na data, tendo estipulado também se será realizado uma vantagem de frete grátis, cashback, cupons e dentre outras opções de benefícios para o consumidor.

Dicas de promoções para seu e-commerce vender mais no Dia do Consumidor:

Apenas uma promoção não basta para atrair o público, é necessário também identificar o momento certo de ativar essas estratégias para que seja transmitida ao consumidor a sensação de oportunidade única. 

Como exemplo podemos citar a experiência em uma loja física: quando ficamos indecisos ao comprar um item, logo o vendedor nos comunica que aquele é o último estoque ou que o preço está naquele valor por tempo determinado. 

No momento que isso acontece, é despertado uma sensação de urgência, muitas vezes nos levando a realizar ação final de compra.

Do mesmo modo deve ser pensada a campanha de promoção no e-commerce. Claro que ninguém vai aparecer e dizer ao cliente que o estoque está acabando, até porque isso soa invasivo.

Existem outras formas, bem mais sutis de influenciar o consumidor a tomar a decisão de compra no modo virtual, confira:

  1. Entregar qualidade

A qualidade do produto é importante por ser um diferencial, nem sempre o preço é mais atrativo que o produto. 

Ressaltar o que tem de diferente no produto que faz ele ser singular é uma tática muito eficaz, pois assim a empresa está valorizando os atributos do produto e colocando em evidência a importância de adquiri-lo.

A título de exemplo, podemos citar uma escova de dente vegana com um preço mais elevado. 

O público que está em busca desse material é bem mais consciente, o que faz com que essas pessoas realizem a compra justamente pela qualidade dos materiais que foram utilizados na produção, tornando assim o preço um fator irrelevante se comparado a qualidade.

Vale ressaltar que, com isso, não queremos dizer de forma alguma que o preço não é um fator atrativo. Ele também é muito importante, mas existem outros aspectos que influenciam o usuário a comprar.

  1. Criar sentimento de urgência 

Conforme citado anteriormente, é possível criar a sensação de urgência para influenciar o consumidor.

Esse pode ser um aliado para vender mais. Para entendermos melhor, destacamos dois tipos de senso de urgência:

  • Escassez: 

Conhecido também como compelling de vendas, essa é uma técnica capaz de levar o cliente potencial a uma assinatura rápida de contrato.

O intuito é oferecer vantagens especiais como acesso a cursos ou a plataformas dentro de uma quantidade de dias estipulada.

Essas vantagens não podem ser desenvolvidas de maneira que coloque em questão a imagem da marca ou a percepção de valor. 

O ideal é que através desse processo, seja estimulada a sensação de ansiedade para ter logo as vantagens, e o medo de perder a oportunidade.

  • Resolução do problema:

Neste caso, estamos falando basicamente sobre criar uma necessidade ou o desejo de compra através de soluções, ou seja, para que o consumidor queira adquirir um serviço ou produto, primeiramente é preciso criar a falta dele.

Podemos citar como exemplo a campanha de um Iphone, que geralmente é um celular mais caro, só que no dia do consumidor ele pode aparecer com uma boa promoção. 

Nesse caso, é estimulado no usuário uma urgência da resolução de problemas com um telefone básico, que teoricamente está servindo, porém não supre as necessidade relacionadas a câmera ou sistema.

  1. Fazer promoções para atrair clientes

A promoção exclusiva é um fator importante, ela pode ser criada de forma estratégica para fazer com que os usuários visitem o site da loja com frequência para verificar as promoções.

Os empresários podem até se perguntar se esse será mesmo um ponto positivo, e como exemplo de que essa é uma estratégia que funciona, podemos analisar o aplicativo de loja Shopee, que iniciou no Brasil em 2019.

Em datas específicas é possível encontrar diversas promoções, cupons de desconto e frete grátis. Essa é uma forma de atrair os consumidores, não é por acaso que já é o quarto app de mobile commerce mais usado pelo brasileiro. 

Outros aplicativos de compras também utilizam essa estratégia, oferecendo essa oportunidade de promoções em datas específicas.

  1. Facilitar forma de pagamento

O digital oferece aos consumidores uma forma mais prática, rápida e eficaz de receber um item em casa. 

Dito isto, entendemos que burocracias e processos demorados são cansativos para os usuários, sendo um fator que prejudica a experiência e não auxilia na estratégia de ação.

Do mesmo modo acontece com a forma de pagamento. Isso porque, as pessoas podem desistir de uma compra, buscando em outras lojas o mesmo produto, porém uma que ofereça a ela a facilidade de pagamento.

Sendo assim, a forma de pagamento descomplicada é um diferencial, por oferecer diferentes tipos de pagamentos, podendo ser via pix, boletos ou parcelamentos. 

  1. Oferecer experiência, ter fidelização

Como podemos analisar durante o artigo, a experiência está em todos os aspectos, desde o pagamento, layout do site, descontos, qualidade do produto às técnicas de persuasão.

Por este motivo é tão essencial fazer um planejamento, para que o cliente possa ter a melhor experiência possível.

Inclusive, vale dizer que essa é uma forma do cliente compartilhar a vivência com outras pessoas. 

Assim, a repercussão da qualidade do site é feita de graça pelo próprio cliente, nada melhor que um consumidor satisfeito para as empresas, não é mesmo?

O boca a boca é praticamente garantido. Em uma roda de amigos sempre mencionamos a satisfação de ter obtido algo, que necessariamente não precisa ter sido de valor alto, basta ter superado as expectativas através do frete grátis e rápido ou de um atendimento online.

Em outras palavras, é oferecendo ao público uma experiência, e é através dela que se ganha a fidelização. É assim que os consumidores defendem e tem a loja como favorita, dispensando os demais concorrentes.

Ações simples e baratas também valem a pena. Basta fazer com que as pessoas se sintam únicas, mesmo que seja por meio de uma mensagem de agradecimento pela compra ou o envio de um brinde. O importante é conquistar cada cliente.

  1. Manter os clientes engajados 

Manter os clientes engajados é uma etapa fundamental. Isso pode ser feito de diferentes maneiras:

  • Dando a eles a possibilidade de dar feedbacks;
  • Dispondo outros meios de comunicação como chats e e-mails;
  • Prestar atenção às reclamações, dando um atendimento eficiente para resolver qualquer demanda;
  • Disponibilizando conteúdos de valor;
  • Expondo produtos em fotos e vídeos;
  • Demonstrando os mais vendidos;
  • Exibindo avaliação de outros clientes;
  • Tendo uma boa presença nas redes sociais.

Essas são maneiras indispensáveis para manter as vendas e o engajamento do e-commerce com o consumidor online da atualidade.

  1. Investir em branding

Branding são ações realizadas com a finalidade de construir uma gestão eficiente da imagem de uma empresa.

Trata-se de um trabalho voltado para a expansão e alcance positivo dos negócios. Essas são ações muito utilizadas por grandes marcas como Apple, Adidas, Nike, Google e dentre outras.

Essas marcas têm um grande alcance porque investem em formas de se diferenciar da concorrência, conquista a credibilidade da clientela, cria identificação com o público e comunica de forma eficiente e clara.

Com o mercado competitivo, o investimento em branding já é um diferencial, pois a marca estará se posicionando diante da concorrência e criando conexão com o público alvo. 

  1. Desenvolver soluções omnichannel

Omnichannel pode ser uma solução excelente para as lojas que querem entregar boas experiências a seus consumidores, pois essa é uma estratégia de venda que envolve diferentes tipos de canais de comunicação.

Vale lembrar que as marcas precisam estar no mesmo local que o seu público, seja por meio físico ou virtual. 

O omnichannel permite essa presença, através de uma abordagem de venda por multicanais com o consumidor, criando assim familiarização, promoção e comunicação.

O ideal é que cada canal do omnichannel seja planejado e estudado. As tendências são:

  • Vendas em dispositivos mobile: 

Nenhum outro canal aproxima mais as marcas de seus consumidores como o celular. 

Isso porque essa modalidade permite uma agilidade muito cômoda. Estamos nos adaptando cada vez mais com a chegada do digital, onde tudo é muito rápido e as exigências são ainda maiores.

  • Webrooming em ambientes físicos: 

Esse é um processo que se inicia na internet e que é finalizado com uma compra na loja física. 

Inclusive, existem empresas que oferecem descontos para as pessoas que compram online e retiram o produto na loja mais próxima.

É também uma opção para a empresa não ter que lidar com a logística de entrega.

  • Showrooming em canais online: 

Neste caso, o cliente vai até à loja física e experimenta o produto para realizar a compra, que será feita de forma virtual. 

Para entendermos melhor, podemos trazer aqui um case de sucesso da rede de supermercado Tesco, na Coreia do Sul, que colocou lojas online em locais públicos. 

Parece confuso pensar em lojas virtuais no ambiente físico, mas é como se nas paredes fossem colados adesivos que simulam prateleiras de supermercados com produtos. 

Desse modo, as pessoas que estão passando pelas ruas utilizam seus celulares para escanear o produto e finalizar a compra online. Depois elas recebem em casa os produtos.

  1. Utilizar a base de leads

Os leads são pessoas que demonstram interesse em adquirir os produtos ou os serviços de uma determinada empresa. 

Essa é uma dica que merece atenção, pois os leads fornecem informações indispensáveis sobre os indivíduos como nome, contato, e-mail, idade e profissão.

São dados adquiridos através de formulários online que foram preenchidos por usuários em troca de um e-book, cupons, descontos ou newsletter.

Os leads podem ser utilizados principalmente para trabalhar a fidelização, uma vez que são esses clientes fidelizados que compram com regularidade e colaboram com os lucros da empresa.

Como desenvolver estratégias para vender mais até o resto do ano?

Como você pode ver, existem diferentes maneiras de criar promoções para o seu e-commerce no dia do consumidor.

Essas são dicas fundamentais para as empresas porque trazem resultados imediatos se aplicada às estratégias e ao planejamento de campanhas.

Além disso, com as técnicas é possível vender até o resto do ano, pois as relações com seus clientes serão as melhores.

Aproveite que o digital oferece um olhar mais detalhado sobre o consumidor e faça o seu e-commerce vender mais.

Quer saber mais? Clique aqui para acompanhar nossos conteúdos e fique por dentro do que acontece no marketing digital.

Categorias
Sem categoria

6 Razões para investir no Google Adwords

A ferramenta do Google Adwords é muito famosa, principalmente pelo seu poder de promover empresas através no mundo digital.

No Brasil, essa é uma ferramenta que vem crescendo nos últimos anos. Uma pesquisa realizada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) demonstrou que 86% dos brasileiros já se adaptam ao digital. 

Este avanço é positivo para as empresas, significa que o investimento na ferramenta do Google vale a pena, pois a depender da segmentação de mercado, o público-alvo que a instituição procura pode estar na internet.

Continue conosco, preparamos este artigo para que você possa compreender as razões pelas quais o investimento no Google Adwords é fundamental para os negócios.

Boa leitura!

O que é o Google Ads?

Para podermos compreender as razões para investir no Google Adwords, primeiro vamos entender mais sobre essa ferramenta. 

O Google Adwords é uma plataforma de anúncios pertencente à Google que disponibiliza oportunidades para empresas se destacarem através de anúncios na internet.

O que faz este investimento ser positivo é que também é possível segmentar os anúncios, ou seja, o empreendimento pode selecionar qual público alcançar, escolhendo gênero, localização, canais e dentre outras opções.

O empreendedor que conhece bem seu projeto, seus clientes e produtos, saberá determinar estas segmentações, assim não terá erro, o público certo que tem interesse será selecionado para receber os anúncios.

Quais são os benefícios de investir no Google Adwords?

Essa é uma ferramenta muito útil por trazer variados tipos de benefícios. Não é necessário realizar um esforço enorme ou desembolsar uma quantidade de dinheiro absurda para ter bons resultados.

Além disso, os resultados são promissores e ficam disponíveis para que a empresa que investe possa acompanhar os relatórios e verificar se realmente está sendo positivo.

É uma proposta excelente para o crescimento da marca. Vejamos agora alguns benefícios do Google Adwords:

  1. Investimento baixo

Usando o Google Adwords é possível escolher o orçamento mais adequado, ou seja, é uma ferramenta acessível para todos os tipos e tamanhos de empresas.

Os custos da publicidade online são pagos mensalmente e, caso a pessoa queira interromper o uso, isso pode ser feito a qualquer momento.

O preço é definido pelo usuário, para que nunca seja ultrapassado, podendo também ser ajustado quando necessário. Além disso, não há a necessidade de contratos a longo prazo e maiores burocracias.

  1. Só paga o anúncio se o usuário clicar

Outro ponto muito interessante dessa ferramenta é que o usuário não paga nada para fazer a inscrição da conta.

Só terá que pagar quando os clientes realizarem ações nas campanhas, como por exemplo, clicarem no anúncio para ver o produto ou o site.

O Google Adwords dispõe de excelentes recursos, com preços acessíveis, sendo também uma ferramenta que não cobra caso o usuário não tenha ações em suas campanhas.

  1. Aumenta o tráfego do site

O tráfego de site está relacionado a movimentação de usuários na página online, ou seja, quanto maior for o tráfego, melhor será para a empresa, pois isso significa que mais pessoas estão visitando o site, tendo contato com as informações, produtos ou serviços.

Com o Google Adwords, as empresas podem colocar seus produtos ou serviços em destaque através dos anúncios para obter resultados relacionados ao número de acessos ao site, isto é, as vendas são impulsionadas.

Leia também: Qual é a importância da criação de site para empresas?

  1. Campanha voltada para o público certo

Como citado anteriormente, é viável selecionar o alcance das campanhas, podendo elas serem de nível local ou global.

O raio de distância pode variar de acordo com a escolha do usuário. Vale lembrar que valor de investimento pode ser escolhido, pois não é estipulado.

As segmentações para alcançar o público são diversas, incluem a faixa etária, sexo, canais, idiomas e também a frequência com que os anúncios aparecerão durante a semana.

As palavras-chaves também devem ser escolhidas estrategicamente, pois assim que um cliente pesquisar sobre a palavra que caracteriza o produto ou serviço, ele encontrará uma lista de sites e anunciantes.

Para que o site da empresa alcance o topo do google, é preciso realizar estratégias que estão inseridas no mundo digital, que por sua vez, disponibiliza oportunidades de comunicação entre instituições e seus clientes, em diferentes canais.

  1. Acesso aos resultados

O Google Adwords deixa disponível os resultados para que seja feito um acompanhamento dos dados, assim a pessoa pode verificar se o investimento está valendo a pena.

Aliás, esses resultados são essenciais para definir estratégias em novas campanhas, entender mais sobre o público alvo e seus comportamentos.

Ter acesso às informações concretas sobre a clientela é essencial, visto que as decisões de negócios se tornam mais precisas e assertivas quando o perfil do consumidor é identificado.

  1. Aumenta a visibilidade

Se um dos problemas que a empresa tenta resolver é a questão da falta de visibilidade da marca, com certeza o Google Adwords pode possibilitar soluções, em virtude da plataforma mostrar a marca em diversos sites e blogs.

Essa é uma ótima oportunidade para aumentar a visibilidade e posicionamento online da empresa.

Caso a tarefa de fazer um planejamento para veicular uma campanha no Google seja complicada, existem agências que auxiliam na escolha de desenvolvimento de campanhas adequadas para cada tipo de negócio. 

Assim, a atividade será realizada por profissionais especialistas e competentes que trabalham na área. Conheça mais sobre o nosso trabalho.

Bônus

As dicas não param por aqui. Sabemos que o meio digital tem muitas informações e nem todo mundo entende muito sobre esses assuntos relacionados ao marketing digital. 

Separamos mais duas dicas para explicar melhor como expandir os anúncios, alcançar e impactar mais pessoas através do Google Adwords:

Google Ads: Rede de Pesquisa 

A rede de pesquisa que utilizamos no Google para fazer buscas e perguntas, tem o objetivo de impactar possíveis consumidores que estão à procura de um produto ou de um serviço.

Os anúncios aparecem ao lado dos resultados da pesquisa, nos sites e blogs, no Google Shopping, no Google Imagens e Google Maps.

Isto posto, a rede de pesquisa é uma opção para atrair novos usuários que compram por impulso através das opções de anúncios relacionadas a busca realizada na rede do Google.

A rede de pesquisa é favorável, pois chama mais atenção dos clientes quando é realizada uma busca, além disso os formatos de anúncios não são padronizados, podendo eles serem dinâmicos e atrativos.

Campanha Discovery

As campanhas Discovery fazem parte das novidades recentes do Google. Elas têm o objetivo de veicular publicidade para atrair os consumidores que navegam por canais como Youtube e Gmail.

São imagens (podem ser únicas ou em carrossel) de qualidade segmentadas a partir do interesse do público-alvo. Essas imagens surgem no feed do Google, sem interromper ou atrapalhar a experiência dos usuários.

Segundo as informações do Google, as campanhas Discovery podem ajudar no alcance de novos clientes, em números podemos citar que é possível atingir até 3 bilhões de pessoas.

Remarketing

O remarketing é uma estratégia muito eficaz de marketing digital que ajuda as empresas a buscarem clientes que já tiveram contato com a marca através de uma campanha de e-mail.

Às vezes acontece do cliente clicar nos anúncios de uma determinada marca e abrir o site para navegar e saber mais informações, porém este não realiza a compra.

Isto não quer dizer que esse é um usuário sem interesse, visto que ele clicou no anúncio para verificar o produto ou serviço. 

Sendo assim, através do remarketing é possível enviar ofertas, descontos sobre aquele determinado item pelo qual o usuário se interessou. 

Essa é uma ferramenta que funciona para recuperar as vendas e só tende a evoluir no mercado digital. 

Google shopping

O Google shopping é uma ferramenta que serve como uma vitrine e chama bastante atenção das pessoas que pesquisam por produtos no Google. 

As imagens aparecem para os consumidores, o que funciona de forma positiva para que uma conversão aconteça, visto que o usuário verifica o produto final.

Existem dois tipos de campanhas no Google shopping, a de shopping padrão (aparece no mecanismo de busca) e a campanha smart shopping, que por sua vez pode aparecer na rede de Display do Google, no Youtube e na busca do Google.

Ou seja, o Google shopping é ideal para gerar resultados positivos nos negócios e aumentar as vendas.

Índice de qualidade de anúncios

O índice de qualidade é basicamente uma nota que o Google determina para os anúncios. Essa pontuação consiste nos componentes relacionados às palavras-chave, os anúncios e as páginas de destino.

Em outras palavras, não é só o investimento financeiro que faz com que o anúncio alcance uma boa posição no Google.

Logo, quanto maior for a relevância e qualidade do anúncio, melhor será o ranqueamento, e isso faz com que o anúncio obtenha os melhores resultados por conta da posição, sendo um facilitador também para as empresas que querem se destacar da concorrência.

É essencial entender os critérios que o Google utiliza para definir a melhor posição dos anúncios, pois os benefícios estão relacionados aos aumentos de cliques e mais tráfego.

KPIs relevantes

Os KPIs (Key Performance Indicator) ou traduzindo para o português indicadores-chave de performance, tem a função de medir o desempenho das empresas.

Isto porque é viável a realização de uma análise sobre um site ou de uma equipe para verificar se o andamento das ações estratégicas estão sendo positivos ou não.

Os KPIs precisam ser relevantes e isso depende do objetivo, pois indicadores errados podem demonstrar performances incorretas que não levam a resultados.

Isto é, primeiro é preciso estabelecer um propósito e definir a métrica que se torna relevante para uma estratégia.

Google Ads: Rede de Display

A rede de display é um conjunto de sites, aplicativos e canais onde é possível o usuário colocar seus anúncios.

O objetivo é impactar as pessoas através de:

  • Anúncio de imagem:

Estes são anúncios atrativos que se destacam com mais facilidade, pois está ligado também ao visual que engaja mais.

Os formatos podem ser variados, com layouts para banners na parte lateral, superior ou inferior da página.

  • Anúncio de texto:

Trata-se de textos pequenos inseridos na rede de pesquisa que aparecem na lateral da tela.

São descrições de anúncio que falam sobre um determinado serviço ou produto com títulos e apresentações atrativas para gerar conversão.

  • Anúncio de vídeo:

Este tipo de anúncio vemos com frequência no YouTube, que é uma plataforma muito utilizada no mundo inteiro. 

Os anúncios aparecem no rodapé, nos vídeos ou na lateral da página. São variados formatos, podendo eles serem banners, imagens e vídeos.

Por ser uma plataforma muito acessada, o YouTube é uma alternativa para as empresas que querem aparecer e demonstrar novas campanhas e produtos.

  • Anúncio de mídia rica:

Essa é uma opção de anúncio para quem busca inovação e interação, pois podem ser feitos carrosséis e animações em diferentes tipos de formatos de publicidade.

E então que tal começar a investir no mundo digital, alcançar e criar laços com novos clientes? 

Fique por dentro de todos os assuntos que envolvem o marketing digital, pois esse é um caminho promissor para o desempenho da sua marca.

Acesse nosso blog e aprenda a aplicar diferentes estratégias de sucesso na sua empresa.

Por hoje é só, até a próxima!

Categorias
Sem categoria

7 dicas para criação de site de alta conversão

A criação de sites é uma estratégia de marketing fundamental para as empresas que querem alcançar mais visibilidade e inserir-se no mercado digital.

Isto porque, o site é um espaço digital que gera impacto comercial por aumentar a visibilidade da marca, proporcionar credibilidade e comunicação com os clientes.

Além disso, a pandemia chegou e mudou alguns dos nossos hábitos, como por exemplo a compra. Segundo um relatório divulgado pela Mastercard, a Covid-19 acelerou o comércio no mundo todo, movimentando quase US $ 900.000.000.000 em varejistas on-line.

Essa pesquisa nos faz perceber que o comportamento do consumidor mudou, estando ele acostumado com a compra online, é o que também diz um estudo feito pela EY Future Consumer Index (FCI) 2021.

Assim sendo, o investimento no digital tem fundamental importância, pois é através desse meio que as empresas podem atrair novos consumidores e vender mais. 

Os sites de alta conversão são promissores para os negócios, quer saber como? Continue conosco, hoje separamos 7 dicas para que você possa desenvolver estratégias de sites com alta conversão.

Boa leitura!

O que é criação de site de alta conversão?

No digital é comum ouvirmos falar em conversão, pois diz respeito ao usuário que cumpre uma determinada ação em sites. 

Em outras palavras, é uma forma de vender mais através da taxa de conversão, que por sua vez alcança clientes por meio das campanhas que as empresas fazem.

Além disso, é possível entender se essa estratégia de campanha está sendo positiva ou não verificando se a taxa de conversão é baixa ou alta.

Se a taxa for baixa, isso significa que as estratégias precisam ser repensadas, pois não estão cumprindo com o objetivo almejado e a verba investida pode ser desperdiçada. 

A criação do site de alta conversão consiste em algumas etapas que são importantes para o desenvolvimento da plataforma. 

Mas, para entendermos melhor, primeiro vamos destacar que a conversão é uma estratégia que influencia um potencial cliente a realizar uma determinada atividade no site.

Isto acontece quando o usuário faz qualquer ação, podendo ser um clique nos botões de CTA (Call to action) ou apenas preencher um formulário, onde pede informações como e-mail, número de telefone e nome completo.

Desse modo, a empresa terá uma taxa de conversão, que demonstra os resultados de uma campanha e as ações no site.  

Ou seja, quanto maior for a taxa de conversão, melhor será, pois isto impacta positivamente os negócios e demonstra que o site está dando um retorno de investimento.

Essa tática ajuda muito as empresas de pequeno e grande porte, pois independente do tipo de instituição e seus serviços, as estratégias de marketing digital servem para alcançar objetivos e criar posicionamentos.

CRO para criação de sites 

A sigla CRO (Conversion Rate Optimization) ou traduzida para o português significa otimização de conversão, que consiste em criar medidas e testes para aperfeiçoar a taxa de conversão. 

Essa é uma estratégia do marketing digital que serve para aumentar o número de visitantes que executam ações no site. O CRO existe para garantir ao máximo que o tráfego resulte em vendas, garantindo também a melhor experiência do usuário.

Entretanto, não adianta nada atrair o cliente ideal e não despertar o interesse, pois é dessa forma que acontece o desperdício de tráfego, sendo uma problemática significativa para o e-commerce.

Existem taxas médias de conversão que são fórmulas que calculam a porcentagem das ações realizadas pelos usuários no site. Caso nesses resultados seja percebido que o site recebe muitas visitas e pouca conversão, significa que é hora de dar atenção ao CRO.

Vejamos, o CRO tem como objetivo atrair mais pessoas e ele se aplica a sites, landing pages, pedidos de teste e Calls-to-Action em geral.

Mas vale lembrar que nem sempre as ações de CRO almeja atrair visitantes, pois o objetivo é colaborar para que os leads qualificados realizem ações para que impacto no e-commerce seja relevante.

Importância de conversão para e-commerce

A taxa de conversão tem fundamental importância para o e-commerce porque essa é uma estratégia que converte visitas em vendas e gerando lucro, o que é muito positivo, pois todo tempo e dinheiro investido tem retorno. 

No entanto, para alcançar esse resultado é necessário conseguir uma boa taxa de conversão, que por sua vez está ligada a saber realizar investimento certo em campanhas de marketing.

Isto é, não adianta pagar mais caro se as campanhas não são desenvolvidas estrategicamente para fazer o usuário tomar a decisão de compra. 

Quais passos devo seguir para ter alta conversão na criação de site?

Para ter alta conversão na criação de sites, é necessário seguir algumas etapas, que são importantes e fazem a diferença se somadas a todas as estratégias de marketing digital.

Hoje, com o avanço da tecnologia temos acesso a dados e informações, como por exemplo os KPIs de marketing digital e outras taxas que concretizam a evolução de sites. 

Sendo assim, separamos 7 dicas para que as empresas possam aplicar as etapas de alta conversão na criação de site.

  1. Conteúdo completo e relevante

Para que o usuário sinta-se seguro com as informações do site, é essencial criar conteúdos mais relevantes, sempre respeitando as etapas de topo, meio e fundo do funil de vendas.

Além disso, o marketing de conteúdo bem definido melhora a conversão e cria autoridade.

E-books, infográficos ou webinars são formas de conteúdos que atraem e convertem, pois para ter acesso a estes assuntos do site, geralmente é preciso preencher um formulário onde irá conter informações sobre os usuários.

Um bom conteúdo tira as dúvidas do leitor e entrega fácil entendimento sobre diversos assuntos, o que também ajuda a obter mais visitantes e bons resultados na página.

Se não tiver as técnicas certas, o cliente não terá interesse em deixar seus dados para receber infográficos ou e-books, justamente por não oferecerem qualidade.

Por isso, vale o investimento na produção de conteúdos relevantes e completos.

  1. Técnicas de persuasão 

As técnicas de persuasão como gatilhos mentais, posicionamentos, referências somadas ao uso de storytelling são importantes, principalmente para sites que tem o intuito de vender, pois essas são formas de convencer o usuário.

Fazer com que as pessoas tenham suas necessidades supridas no site sem precisar ir buscar respostas na concorrência, demonstrar a importância do produto ou serviço são maneiras de se diferenciar e de persuadir os usuários.

Vale ressaltar que as pessoas estão em busca de respostas, e descobrir formas de desenvolver soluções durante a criação de site conquista a confiança, cria elo com os clientes e as vendas aumentam.

  1. Investimento em práticas de SEO

Para alcançar um maior número de pessoas na internet, é preciso aplicar práticas de SEO. Com uma boa otimização, o site melhora a classificação dos resultados de busca. 

Essas práticas que melhoram a otimização também incluem a experiência do usuário, que é explorada com o conteúdo dinâmico, a estética do site, o uso de elementos visuais sobre o assunto do conteúdo e o uso de palavras-chave.

A otimização de SEO somada a taxa de alta conversão ajuda no aumento de vendas e engajamento. 

Ambos são indispensáveis e precisam de atenção para manter os resultados promissores que um site precisa.

  1. Criação de site seguro

Este é um fator que é favorável para o ranqueamento por parte dos motores de busca, isto porque um site não seguro prejudica o ranqueamento orgânico.

Caso o site não esteja entre os resultados de busca do Google por motivos de falta de segurança, pode afetar diretamente o tráfego orgânico. 

Inclusive, os usuários que não se sentem seguros, não finalizam a compra por medo de cadastrar dados bancários e nem consomem conteúdos, pois ficam receosos sobre a veracidade das informações.

  1. Imagens

As imagens são significativas, deixam o conteúdo mais dinâmico, atrativo, cria identificação e ainda melhora o posicionamento orgânico do Google com o uso de palavras-chave.

As imagens também podem ser utilizadas para oferecer ao consumidor mais clareza sobre um assunto ou um produto.

  1. Navegação fácil

A experiência de navegação do usuário é de extrema relevância, em virtude de ser um fator que impacta as vendas.

User Experience – UX ou experiência do usuário está relacionado a todos os pontos ligados a comunicação com o cliente.

Essa comunicação pode acontecer quando o usuário realiza compra de um produto ou serviço no site, tendo o fator emocional incluído, deixando os visitantes o mais confortável possível.

Em um e-commerce podemos citar que o site precisa atender não somente a todos os critérios, mas principalmente dispor de uma navegação intuitiva e de fácil acesso para os usuários.

Lembrando que, um consumidor satisfeito com as experiências vividas, pode retornar à página de compras, realizar ações de conversões, indicar amigos e se tornar um cliente fiel.

O layout de um site deve contribuir para deixar a vivência ainda melhor, deixando cada espaço bem definido para que as pessoas possam facilmente acessar e pesquisar por serviços e produtos.

Como dito, os clientes buscam por soluções e encontrar um site bagunçado e com a usabilidade difícil, faz com que eles desistam e voltem à página de pesquisa para procurar a concorrência.

  1. CTAs estratégicos

O CTA é um elemento de fundamental importância para a conversão, pois se ele estiver posicionado corretamente, convencendo o usuário a clicar, o objetivo será alcançado.

Aliás, os gatilhos mentais podem ser utilizados por serem capazes de impulsionar o usuário a realizar uma ação, eles servem basicamente para tirar o usuário da zona de conforto.

CTAs com frases como “clique e confira”, “assine por 1 mês grátis” ou “acessar gratuitamente” são exemplos de gatilhos.

Os CTAs podem ser botões de direcionamento para realizar compras, para baixar um e-book, para entrar em contato e dentre tantas outras opções.

Caso os usuários não estejam clicando no CTA, a estratégia deve ser repensada. 

Por que a criação de site de alta conversão é indispensável?

A criação de site deve ser elaborada estrategicamente visando os efeitos positivos que a alta conversão oferece.

Se você quer ter um site de alta conversão, deve seguir as dicas relacionadas a conteúdos, técnicas de persuasão, práticas de SEO, criação de site e as outras citadas durante o artigo, pois são indispensáveis para ter bons resultados nas vendas online e no e-commerce.

Estar atento às mudanças do comportamento do público e utilizar as ferramentas de marketing digital a seu favor é ter uma visão ampla e estratégica do mercado que está em constante evolução.

Através da tecnologia é possível mensurar o retorno de investimento e facilitar o planejamento de novas ações, como as taxas de conversão, por exemplo.

E então, você quer atingir uma boa performance no seu site e obter resultados promissores nos negócios investindo menos, porém melhor? 

A Lebbe te ajuda a desenvolver estratégias de marketing de forma personalizada e objetiva

Clique aqui para entrar em contato conosco.

Até a próxima!

Categorias
Sem categoria

Google Adwords: entenda o que é e como usar

Saber sobre os novos meios de marketing digital e Google Adwords é fundamental para conquistar novos clientes e se posicionar diante do mercado.

Graças a tecnologia, hoje podemos ter mais visibilidade e mais oportunidades de vendas através das plataformas digitais parceiras do Google. 

Os empreendedores devem aproveitar esta oportunidade de marketing digital e começar a anunciar os serviços ou produtos que a empresa oferece. Assim, o público-alvo toma conhecimento da marca e das soluções que ela pode oferecer.

Continue conosco, durante o artigo vamos explicar o que é, como funciona e por quais motivos devemos usar Google Adwords.

Boa leitura!

O que é Google Adwords?

O Google Ads é uma ferramenta que permite que o usuário faça publicidade online para aparecer como anúncios nas páginas do Google.

De forma simples, para contextualizar, digamos que essa é uma forma paga de fazer o produto ou serviço chegar até o público-alvo. 

Apesar de não ter um contato físico, o ambiente online oferece oportunidades de vendas que valem a pena, pois é possível que as publicidades cheguem às pessoas que já estão interessadas em comprar um determinado produto.

É uma maneira de converter possíveis clientes através de:

  • Anúncios em formatos de banners em blogs ou em vídeos do Youtube;
  • Anúncios de aplicativos para usuários Android ou IOS;
  • Anúncios em rede de display veiculadas em blogs, sites e websites;
  • Anúncios por rede de pesquisas com o uso de palavras-chaves;
  • Anúncios em vídeos no YouTube.

Essas são estratégias de marketing digital que funcionam muito bem. 

Uma prova disso é o faturamento do Google. No ano de 2020, no Brasil, as ferramentas de busca e publicidade do Google movimentaram R$ 67 bilhões em atividades econômicas.

Dados assim nos provam como uma ferramenta poderosa da empresa Google pode servir para auxiliar as empresas que querem participar do mundo dos negócios online.

O que é Facebook Ads?

Diferente do Google Ads, que segmenta por palavra-chave, o Facebook Ads, funciona como uma ferramenta que chama atenção das pessoas através de anúncios patrocinados no Facebook ou no Instagram

É feita uma segmentação para definir a localização, o gênero, a idade e outros dados para alcançar o público-alvo.

Além disso, através do Facebook Ads, é possível ter acesso aos resultados, o que é essencial para acompanhar a eficácia de uma campanha.

Uma das vantagens do Facebook Ads é que o poder de segmentação é alto, uma vez que as campanhas tornam-se mais assertivas e alcançam o público desejado. 

Como funciona o anúncio do Google Ads?

Para quem não sabe o que é, o Google Ads é uma plataforma de anúncios do Google e, para anunciar, primeiro deve ser criada uma conta no Gmail. É simples e rápido, não requer muitos esforços.

O Google Ads é pago, porém, fica a critério do usuário determinar o valor do investimento, sendo a forma de pagamento no cartão de crédito, débito ou boleto bancário. 

Após os passos citados, é necessário criar palavras-chaves para o serviço ou produto, pois assim, quando os potenciais clientes pesquisarem no mecanismo de busca sobre um determinado item, os anúncios irão aparecer. 

É basicamente uma espécie de ponte que liga as empresas aos seus clientes. 

Por este motivo, o marketing digital é tão essencial para uma corporação que quer conquistar novos clientes e criar posicionamentos.

Vale ressaltar que além do investimento em dinheiro, o tempo é tão fundamental quanto, em virtude de que a conta precisa ser analisada frequentemente para fazer ajustes. 

Pode acontecer que os efeitos não sejam imediatos, mas os resultados podem ser sempre acompanhados através do Google Analytics. 

O acompanhamento é de extrema importância, pois assim é possível controlar o gerenciamento e identificar o que pode está dando errado na campanha através dos recursos avançados.

O Google Analytics é uma ferramenta intuitiva, não é difícil de usar, pois a plataforma apresenta relatórios visuais com informações que registram vendas, números de visitantes, conversões e outros dados e métricas do site, que também pode ser estabelecido relatórios personalizados, da maneira que o usuário da conta desejar.

Como o AdWords está estruturado?

A plataforma é muito bem estruturada e completa mas, para entendermos melhor, vamos citar o funcionamento para que os resultados possam ser os melhores.

  • Anúncios:

Os anúncios devem ser bem feitos para chamar a atenção do público, tendo neles destacados diferenciais da empresa.

Por exemplo: se uma empresa oferece ao seu cliente frete grátis, cupom de descontos ou outros benefícios, eles devem constar no anúncio para chamar a atenção.

Os botões de CTAs (Call-to-Action) também são muito bem vindos. Estes servem também para levar o usuário a uma determinada ação, através de um link. É uma alternativa interessante que facilita e conduz o público.

  • Palavras-chave:

As palavras-chaves são os termos que as pessoas digitam para buscar um determinado item ou produto nos navegadores de busca.

Elas são essenciais para segmentar os anúncios. Deste modo, terá chances de um alcance maior.

  • Relatórios:

Conforme as campanhas são veiculadas, a plataforma disponibiliza os relatórios, o que é indispensável para manter o acompanhamento de todos os dados importantes.

Com essa análise, fica mais fácil realizar estratégias para que as campanhas sejam as melhores possíveis, para que assim elas tenham resultados promissores.

Informações como desempenho, visualizações de anúncios, cliques, interações e conversões são disponibilizados pelo Adwords.

O Google Ads é uma plataforma completa que oferece variados recursos como anúncios em formatos de texto, vídeos, gráficos, etc.

Quais são os benefícios do Google Ads?

Para as empresas que querem vender, criar posicionamentos e falar diretamente com o público, o Google Ads é uma excelente alternativa, justamente por ser uma forma mais prática e eficaz de fazer publicidade online.

A ferramenta oferece vantagens como segmentação de anúncios, o que é ótimo para os negócios, pois assim, pessoas com interesse nos produtos ou serviços que uma determinada empresa oferece serão o alvo dos anúncios.

Além disso, quem utiliza o Google Ads, tem um controle dos gastos, uma vez que não há estipulado um valor mínimo. As pessoas podem escolher à vontade quanto querem investir por mês, por dia ou por anúncio.

Por quê usar Google Ads?

Investir no Google Ads é bastante relevante para as empresas, porque traz resultados imediatos se formos comparar com outros métodos de marketing digital.

Com uma estratégia bem planejada nas campanhas e com a ajuda de profissionais que entendem bem como funcionam os negócios no ambiente online, a sua empresa só tende a prosperar. 

Clique aqui e crie posicionamentos e estratégias online para vender mais.

Leia também: 5 dicas essenciais para ser um profissional de Marketing de ponta.

Categorias
Sem categoria

O que é SEO e SEM: como alcançar o topo do Google em 2022

SEO, SEM e o mundo digital permitem um novo leque de oportunidades diferente de outros canais para as empresas se comunicarem com seus clientes e novos públicos, podendo vender e criar conceitos. 

A Anatel divulgou que no Brasil, o número de pessoas com acesso fixo à banda larga cresceu 241% desde o início da pandemia, em março, quando a OMS (Organização Mundial da Saúde) declarou a pandemia da Covid-19.

Este dado nos remete à relevância fundamental que o meio digital tem, pois a quantidade de usuários que estão inseridos na internet podem ser vistos como uma oportunidade de conversão para as empresas. 

É preciso saber utilizar as possibilidades a favor da corporação que deseja alcançar o público-alvo que está conectado, atraindo novos visitantes para convertê-los em potenciais clientes. 

Assim, faz-se necessário o entendimento sobre as ferramentas de marketing digital, bem como a importância do SEO e do SEM.

Continue conosco, durante o conteúdo vamos destacar o que é e qual a importância do SEO, SEM e como alcançar o topo do Google em 2022.

Boa leitura!

O que é SEO em marketing digital?

SEO são técnicas estratégicas utilizadas com o objetivo de otimizar e dar visibilidade a sites, blogs e redes sociais através do posicionamento nos resultados orgânicos.

Apesar do Google não divulgar os dados, podemos ter uma base da quantidade de usuários se analisarmos as seguintes ocasiões:

  • O Facebook é a rede social mais utilizada pela população mundial, com mais de 2,85 bilhões de contas ativas;
  • O número de pessoas que usam internet no mundo, durante o ano de 2021, chegou a 4,66 bilhões
  • 5,22 bilhões de pessoas, ou seja, 66,6% da população no mundo usam smartphones;

Diante dos pontos destacados acima, podemos compreender que os números de usuários é maior do que podemos imaginar. 

Se no ano de 2012, segundo o Google Zeitgeist, 1,2 trilhões de buscas foram feitas, podemos tentar medir o cenário atual. 

Se milhares ou trilhões de pesquisas são feitas nas ferramentas de busca, fazer com que o site da empresa apareça na primeira página de busca e se destaque diante da concorrência é uma expertise e um modo de saber posicionar-se no mundo digital.

Mas, para isso, existem alguns fatores e técnicas que devem ser realizados, como a estratégia de SEO (Search Engine Optimization).

É através das técnicas de SEO que os algoritmos são influenciados. 

Os algoritmos, por sua vez, são sequências e processo de software que acontecem de forma programada com a finalidade de solucionar problemas ou executar tarefas.  

O Google, por exemplo, diariamente muda os seus algoritmos, para melhorar os processos e os resultados internos. 

Vejamos agora alguma técnicas de SEO:

  • Otimização on-page: é realizada dentro do próprio site com o objetivo de otimizar os motores de busca e melhorar o tráfego orgânico.
  • Utilização de tags H1, H2 e H3: essa é uma etapa que representa a formatação do conteúdo, sendo ele estruturado com edições de tamanhos, fontes e estilos para blogs. 

As tags H1 precisam ser utilizadas em títulos primários, H2 em subtítulos e H3 em subtítulo dentro do H2. 

A partir disso, quando as pessoas fazem a busca de um produto, ou serviço, através da palavra-chave, o Google apresenta os resultados encontrados, sendo estes o ranking dos mecanismos do Google da primeira página, apontando os sites que estão com uma gestão eficiente de SEO.

Porém, para isso, é indispensável realizar uma análise de planejamento das palavras-chaves, criar conteúdo de qualidades e relevantes, bem como desenvolver o design, layout e a performance.

Assim sendo, uma marca que quer ganhar visibilidade, divulgar seus produtos e serviços em sites ou redes sociais, deve saber que o SEO, suas métricas e palavras-chaves são de fundamental importância.

O que é SEM? 

Search Engine Marketing ou marketing para mecanismo de busca é uma sigla (SEM) muito conhecida no marketing digital. 

Empreendedores que querem inovar e abrir um negócio online, devem saber que o SEM é importante, pois são estratégias de marketing responsáveis por colocar os sites mais próximos do topo da página durante as buscas que são realizadas. 

Isto significa que o SEM ajuda a marca a prosperar da seguinte maneira:

O SEM é dividido em SEO e links patrocinados (também são conhecidos como links pagos pelo Google Ads ou Facebook Ads), que são aqueles anúncios vistos diariamente nas redes sociais ou nos sites e no topo dos resultados em mecanismos de busca.

A utilização do SEM pode ser feita de forma paga ou orgânica. 

Os links patrocinados em forma de imagem, por exemplo, são ferramentas de SEM que fazem os sites ganharem destaque durante a busca.

Ao longo de uma busca, o SEM ajuda o site a se tornar uma prioridade diante dos outros conteúdos. Isto é fundamental, pois 75% da população não passa da primeira página de busca, segundo uma pesquisa realizada pela HubSpot, uma plataforma de CRM.

Search Engine Optimization é uma outra ferramenta de SEM utilizada com o intuito de otimizar o mecanismo de busca e aumentar o tráfego.

As ferramentas de SEO e SEM são essenciais para garantir o sucesso do rankeamento do site.

Desta forma, a principal diferença é que o SEO alcança o melhor resultado de pesquisa orgânica, já o SEM utiliza mecanismos como o Google para anunciar produtos ou serviços de empresas para os usuários que navegam na internet.

O que é e qual a importância da otimização de plataforma online?

Como podemos ver, o investimento para otimizar as plataformas online é indispensável, pois é assim que as pessoas que estão usando a internet tomam conhecimento de uma empresa e seus produtos. 

Um conteúdo de qualidade bem como materiais atrativos são importantes para qualquer site, porém sem a otimização de SEO, os potenciais clientes não terão acesso ao material que a marca quer divulgar ou vender.

A palavra-chave é um conceito fundamental de SEO. Conhecendo bem a instituição, é possível utilizar as palavras-chaves corretas para que, quando o usuário pesquise no navegador perguntas ou dúvidas sobre o assunto relacionado, o conteúdo da empresa apareça entre os outros concorrentes.

Além disso, o faturamento aumenta, pois com a estratégia correta de anúncio, os usuários clicam para acessar a página do site, o que é ótimo para despertar o interesse de compra nas opções encontradas.

Conheça as tendências de SEO para 2022

Acompanhar a tecnologia bem como os novos comportamentos do consumidor é essencial, pois é assim que as empresas se destacam diante do mercado. 

Otimizar sites, oferecer conteúdos de qualidade e acompanhar as mudanças no algoritmo são tendências que devem ser levadas em consideração. Além dessas, existem outras que farão a diferença em 2022. 

Imagens para Google Lens:

O Google Lens é uma ferramenta inteligente que consegue interpretar informações através das imagens. O aplicativo verifica a semelhança da imagem com o banco de dados para realizar a definição de cada foto.

Sendo assim, quando abrimos o aplicativo e apontamos a câmera para um determinado objeto, o software realiza uma busca e apresenta informações sobre aquele determinado item, direcionando o usuário para um site de compras ou um blog.

As imagens são indispensáveis e fazem parte das novas tendências de SEO para 2022, pois elas ajudam na performance, na velocidade do site, na decisão de compra e são tão importantes quanto o texto.

Sendo assim, podemos compreender como as imagens são um diferencial de SEO. Elas tornam a experiência agradável e se estiverem categorizadas e adequadas, podem ser encontradas no Google imagens.

Conteúdos em formatos mais longos:

Conteúdos longos, porém mais precisos e mais objetivos que respondam às intenções de buscas fazem parte das novas tendências para 2022.

O marketing de conteúdo atrai o público e sites que entregam artigos únicos e originais tendem a se destacar, pois movem o usuário e fazem o SEO funcionar.

Para mais, entregar conteúdos que complementam com o visual como gráficos, infográficos e mapas, ajudam a impactar a experiência do usuário e resulta em benefícios como:

  • Maior visibilidade do site;
  • Maior chance de conversão de novos clientes;
  • Geração de autoridade e confiança;
  • Reconhecimento da empresa e seus produtos ou serviços;
  • Aproximação no relacionamento com clientes;
  • Maior captação de leads e conversão de vendas.

Utilização de vídeo:

Os vídeos são bem aceitos pelo público, podemos perceber isso através dos aplicativos de vídeos que viralizam na internet. 

É uma forma mais rápida de consumir e de aprender sobre um determinado assunto e as empresas que se adaptam a estas novas tendências, acompanham os desejos dos consumidores.

Além do que, os cliques em vídeos que aparecem como resultado de busca, tendem a ser maiores.

As técnicas que podem ajudar são:

  • Adicionar palavras-chaves na descrição e no título;
  • Adicionar tags que estejam relacionados ao tema do vídeo;
  • Adicionar imagens nos vídeos;
  • Adicionar legendas;
  • Adicionar uma descrição do conteúdo.

Pesquisa por voz:

As pessoas, quando estão dirigindo ou muito ocupadas, fazem pesquisa por voz, por ser um meio mais rápido e eficaz. 

As assistentes virtuais como Alexa e Siri, por exemplo, são formas de agilizar e facilitar a vida das pessoas. Talvez por este motivo o recurso de pesquisa de voz potencializa o SEO do site. 

O conteúdo que responde a este formato de pesquisa tende a aparecer quando a pergunta é feita na plataforma de busca. 

O ideal é que o site ofereça um conteúdo que seja direto, com uma linguagem natural e de fácil compreensão.

Princípio EAT:

EAT (Expertise, Authoritativeness and Trust) oferece especialização, autoridade e confiabilidade. Estas são partes importantes do algoritmo do Google que diz respeito sobre a expertise de um site que conquista a primeira página de busca.

Os fatores do EAT conseguem identificar se um site tem conteúdos úteis e de qualidade. 

Por este motivo, a importância de criar conteúdos para o site que sejam relevantes e com técnicas que deixam o texto mais aperfeiçoado, seguindo também as outras tendências e boas práticas de SEO citadas acima durante o artigo.

Conteúdo de qualidade:

Para desenvolver um conteúdo que faça a diferença e mova o SEO do site, é essencial desenvolver técnicas que possam contribuir com o artigo. 

Ao desenvolver um texto, existem meios como a persona, que oferece ao escritor informações e ferramentas para desenvolver linguagens e características que tem o poder de atingir o público ideal da marca.

Porém, vale ressaltar que existe uma diferença entre persona e público-alvo. A persona é o potencial cliente, já o público-alvo é o perfil geral do consumidor.

Contudo, a persona ou buyer persona é baseada em uma pesquisa, sendo uma estratégia eficiente onde é definido o perfil social, os objetivos do cliente e como a empresa pode ajudar a solucionar suas dores.

Um texto mal estruturado, que não corresponde às expectativas dos usuários, pode colocar o site fora da primeira página. 

Ou seja, escrever conteúdos que tenham fundamento, dados de pesquisas para transmitir segurança ao leitor faz toda a diferença. 

A importância de saber sobre tendências e técnicas de SEO para sua empresa

As técnicas de SEO são essenciais para todas as empresas que pretendem atingir seus objetivos através do site. 

Quanto mais se entende do assunto de SEO e suas estratégias, mais fácil será alcançar o público, ganhar visibilidade geral, construir segurança, oferecer experiências e vender mais.

A nova era do marketing está em constante transformação, bem como o comportamento dos usuários e ter essa expertise de investir em marketing digital, fará com que a empresa se destaque.

Vale evidenciar que os algoritmos do Google estão sempre mudando, logo, é importante que os profissionais que tomam conta das plataformas de sites e blogs estejam atualizados.

Leia também: Os 10 erros de marketing que a sua empresa pode estar cometendo.

Como uma agência pode te ajudar chegar ao topo dos mecanismos de busca

Saber todas as técnicas de SEO não é tão fácil e para isto, tempo e experiência são duas características básicas. 

Caso o tema seja complicado para você, uma agência de marketing digital especializada em SEO é uma opção excelente para que a sua empresa tenha problemas solucionados e crie presença na web.

A Lebbe te ajuda a identificar seu público-alvo, a jornada de compra e os canais corretos. Que tal gerar impacto, marcar lembranças do consumidor, investindo menos? 

Entre em contato conosco para fazer o seu site alcançar o topo do Google.

Categorias
Sem categoria

SEO e SEM: qual é a diferença e como usar cada estratégia

SEO e SEM são duas siglas parecidas, mas com conceitos diferentes. Para acertar nas estratégias de marketing digital da sua empresa e alcançar bons resultados, é preciso compreender as diferenças desses dois canais. 

Quando uma pessoa tem alguma dúvida, é normal recorrer a um mecanismo de busca da internet (principalmente o Google). Sendo assim, é importante que a sua empresa esteja bem posicionada nos mecanismos de busca e, portanto, consiga trazer mais visitantes para o site e clientes para o seu negócio.

As melhores formas de bem colocado é investindo em SEO (Search Engine Optimization), gerando um resultado orgânico da busca, em SEM (Search Engine Marketing), para alcançar um bom resultado pago.

Os dois canais são utilizados para alcançar seu público-alvo, mas com diferentes abordagens, desta forma, as empresas que ainda não entendem o funcionamento dessas ferramentas, podem ficar para trás. 

Quando ambos são aproveitados em todo o seu potencial, podem gerar ótimos resultados de marketing, potencializando a visibilidade e a autoridade da sua empresa no mundo online.

Quer conhecer a diferença entre SEO e SEM e como usar cada estratégia para otimizar suas ações online? Continue lendo!

O que é e como funciona o SEO?

SEO é a sigla para Search Engine Optimization (em português, Otimização para Mecanismos de Buscas). 

Primeiramente, é preciso entender que os algoritmos do Google foram criados para selecionar as melhores páginas da internet — que são os primeiros resultados quando fazemos alguma busca. 

O SEO reúne estratégias para garantir que o seu site seja acessível e tenha uma alta colocação na página de resultados. 

A otimização é feita por meio da estruturação adequada das palavras-chave. O objetivo é atrair mais visitantes ao seu site de forma orgânica. Ou seja, sem investir em anúncios pagos.

Como utilizar

O SEO trabalha em conjunto com o Marketing de Conteúdo, criando páginas com conteúdo de qualidade e relevantes para o seu público alvo.

Isso inclui diferentes estratégias, como:

  • Fazer a busca adequada das palavras-chave;
  • Utilizar as palavras-chave no conteúdo;
  • Produzir um conteúdo de valor;
  • Criar uma página escaneável e responsiva;
  • Incluir links externos e internos;
  • Melhorar a navegação da página.

Além disso, o SEO pode ser subdividido em atividades On Page e Off Page. As ações para On Page são feitas na página que você quer promover. Além de alinhar as funções de back-end (que envolve tempo de carregamento e programação do site) com front-end (tags, usabilidade, acessibilidade, etc). 

Já as ações Off Page são táticas que ocorrem fora do seu site, como criação de conteúdo e construção de marca. Também pode ser considerada como Link Building.

Aplicar técnicas de SEO significa estruturar site e conteúdo para subir de posição nos mecanismos de busca. Com as estratégias adequadas, é possível que um futuro cliente encontre sua empresa sem que você precise se esforçar diretamente para isso. 

O que é SEM? 

SEM é a sigla para Search Engine Marketing (em português, Marketing de Mecanismos de Buscas). Essa ferramenta realiza ações pagas que buscam aumentar a visibilidade do site nos mecanismos de busca. Também é conhecido como PPC (pay-per-click).

O SEM é dividido em duas partes:

  • SEO: que pode ser considerado uma modalidade de SEM para gerar tráfego orgânico para um determinado domínio;
  • Links patrocinados: são os anúncios exibidos no Google e em outras plataformas. O anunciante pode comprar palavras-chave por meio dessa ferramenta e direcionar para as pessoas que procuram sobre o assunto.

Todas as ações envolvem estratégias, algumas em comum com o SEO, como a pesquisa de palavras-chave.

O SEM usa plataformas de publicidade paga como Google Ads  e Bing Ads para utilizar  os formatos de anúncio disponíveis para alcançar seu público-alvo. Portanto, ele abrange todas as técnicas de marketing relacionadas aos buscadores

Com isso, é possível segmentar as ações de publicidade para as pessoas que realmente apresentam interesse no seu serviço/produto. 

Como utilizar

Essa estratégia envolve desde a configuração e otimização de anúncios pagos até a gestão da conta para aumentar as conversões e os retornos. Normalmente, o anunciante estipula um valor limite para o anúncio e paga apenas quando o usuário clica no link.

Primeiro, é feita uma pesquisa de palavras-chave e a análise da concorrência, depois você pode criar campanhas direcionadas que vão apresentar seu negócio para um público-alvo — a ferramenta mais utilizada é o Google Adwords.

Quando os usuários procuram por um assunto que tem a ver com o seu serviço/produto, será exibido o seu anúncio personalizado. É claro que para isso é preciso ter realizado uma boa campanha de SEM.

Assim, você pode conseguir que seu anúncio fique no topo das SERPs, resultando em uma maior taxa de conversão.

Qual é a diferença entre SEO e SEM?

Basicamente, o SEO proporciona melhores resultados de busca orgânica e o SEM usa os motores de busca para fazer anúncios pagos para clientes da internet, visando aumentar o tráfego do seu site

Por exemplo, quando alguém digita sobre um assunto, aparecem os resultados orgânicos, os primeiros são os que têm mais autoridade e, consequentemente, melhor estratégia de SEO. Já aqueles anúncios que ficam fixos acima dos resultados orgânicos são gerados pelo SEM. 

Listamos  algumas diferenças entre os dois canais. Confira a seguir:

  • O SEO não é manipulável. Não existe a possibilidade de você pagar para estar nas primeiras posições dos buscadores. Já com o Link Patrocinado isso é possível;
  • No SEM você paga por cada clique ou impressão dos usuários. Os cliques nos resultados orgânicos são gratuitos;
  • Os resultados com o SEM são a curto prazo (quase imediatos). Já o SEO pode levar tempo para mostrar os resultados, sendo de médio a longo prazo;
  • Com o passar do tempo, os seus resultados de SEO podem melhorar e o retorno do seu investimento será cumulativo. Com SEM, assim o anúncio é desativado os resultados param por ali;
  • As campanhas de SEM precisam de testes e são mais fáceis de revisar e ajustar (de acordo com os dados disponíveis). O SEO depende do algoritmo e os testes demoram mais tempo para serem ajustados;
  • SEO e SEM têm visuais diferentes. É possível ver claramente quando tem um anúncio pago nos SERPs (são marcados pelo ícone “anúncio”).

É importante entender que SEO e SEM não estão competindo serviços. Inclusive, o SEO é uma ferramenta utilizada dentro das estratégias de SEM. As duas soluções se completam e formam uma estratégia de marketing digital extremamente eficiente.

Qual é a melhor estratégia?

A princípio, SEO e SEM não devem ser considerados como canais separados para aplicar suas estratégias. Os dois trabalham para impulsionar a visibilidade, o tráfego e as conversões nos mecanismos de busca.

Não podemos dizer que um é melhor que o outro, pois tudo varia de acordo com o seu objetivo. Cada um pode ser mais eficiente em determinada estratégia. Por exemplo:

  • O retorno do SEO é de médio a longo prazo. Se você deseja que o seu resultado seja consistente, mesmo que demore um pouco, essa é a melhor escolha. 
  • Agora, se você precisa direcionar tráfego rápido para uma venda, campanha ou para dar um impulso depois de um tempo parado, o SEM é mais recomendado por ter um efeito no curto prazo.

A questão dos custos também devem ser consideradas, já que o SEM pode exigir um investimento maior. É importante estimar o CPC (custo por clique) que você vai precisar pagar e entender sobre a taxa de conversão para obter lucro. O seu orçamento deve ser proporcional ao tempo que deseja manter a campanha no ar. 

O ideal é construir uma estratégia combinando SEO e SEM. Os dois canais estão fortemente interligados e proporcionam muitas oportunidades para impulsionar o crescimento de clientes para a sua empresa.

Usando as técnicas adequadas, você consegue alcançar o sucesso e usufruir de um excelente Retorno Sobre o Investimento (ROI).

Conclusão

Esperamos que este conteúdo tenha te ajudado a compreender sobre SEO e SEM. É importante que você entenda o objetivo de cada canal e como eles podem aprimorar sua estratégia de marketing digital.

Não se esqueça de que usar os dois juntos pode trazer resultados expressivos para o seu negócio. Portanto, se você busca ampliar a presença digital do seu negócio e chegar às primeiras páginas do Google e dos demais sites de busca, deve investir em SEO e SEM.

O marketing digital possui diferentes estratégias e, para ter sucesso, é preciso estar por dentro do assunto.
Quer aprender mais sobre esse mundo? Leia nosso artigo: KPIs de Marketing: o que são e como podem te ajudar com as vendas?